Sem macho, cobra se reproduz sozinha em zoo de Campinas

Uma serpente fêmea isolada em cativeiro, sem contato com um macho, é mãe de dois filhotes. A espécie caiçaca ou jararacão (Bothrops moojeni) vive na Casa dos Animais Interessantes, do Aquário Municipal de Campinas, e que fica no Zoológico do Bosque dos Jequitibás. O fato do réptil procriar sem o acasalamento é raro e a …

27/03/2011 08:16



Uma serpente fêmea isolada em cativeiro, sem contato com um macho, é mãe de dois filhotes. A espécie caiçaca ou jararacão (Bothrops moojeni) vive na Casa dos Animais Interessantes, do Aquário Municipal de Campinas, e que fica no Zoológico do Bosque dos Jequitibás.

O fato do réptil procriar sem o acasalamento é raro e a hipótese provável é que ocorreu uma partenogênese, ou seja, uma reprodução assexuada – algo muito incomum em um vertebrado -, segundo a bióloga do aquário, Denise Polydoro.

Os dois filhotes são sobreviventes de uma ninhada de 23 ovos dos quais 20 não se desenvolveram (atrésicos). Dos três ovos restantes, vingaram apenas os dois filhos já que do terceiro ovo o filhote estava morto.

A serpente está em Campinas desde 2006, proveniente do Zoológico de Sorocaba, também interior de São Paulo. Desde então ela não teve contato com nenhum outro exemplar de sua espécie.

Em janeiro de 2010 a serpente também chegou a pôr ovos, porém nenhum dos filhotes sobreviveu.

DNA
“Vamos fazer O exame de DNA para confirmar a partenogênese”, afirmou a bióloga Denise. De acordo com ela o teste será conduzido pelos pesquisadores do Instituto Butantan, de São Paulo que irão à cidade para a coleta de material. Na ocorrência do ano passado, não houve tempo de se fazer a coleta para o DNA, já que os filhotes não sobreviveram.

Denise explica que a reprodução assexuada de fêmeas mantidas em cativeiro isoladas de machos já foi registrada em pelo menos em duas espécies brasileiras: Bothrops moojeni e Bothrops insularis.

Filhotes separados
Após o nascimento os dois filhotes foram separados da mãe por precaução a fim de evitar algum acidente como serem predados, explicou a bióloga. Eles foram colocados, separados entre si, em uma caixa de vidro dentro de uma sala com aquecimento controlado.

A serpente pesa quase 2 kg e está com 1 m e 40 cm de comprimento. Ela é muito agressiva e o seu bote, que pode ser tanto no sentido horizontal como na vertical, pode alcançar a distância de um terço do seu comprimento.

fonte: Terra