Governador anuncia conclusão do contrato de arrendamento da Termelétrica de Cuiabá

O Governo de Mato Grosso já tem em mãos, desde a manhã desta quarta-feira (30.03), o contrato de arrendamento da Termoelétrica de Cuiabá, assinado com a Petrobras. O contrato estabelece que, no primeiro momento, a Petrobras assumirá a usina até dezembro de 2012. O contrato de arrendamento transfere à Petrobras todas as operações da usina …

30/03/2011 18:12



O Governo de Mato Grosso já tem em mãos, desde a manhã desta quarta-feira (30.03), o contrato de arrendamento da Termoelétrica de Cuiabá, assinado com a Petrobras. O contrato estabelece que, no primeiro momento, a Petrobras assumirá a usina até dezembro de 2012. O contrato de arrendamento transfere à Petrobras todas as operações da usina que está paralisada há três anos e encerra esse período de pendências.

Encerra também uma longa série de articulações entre o Governo de Mato Grosso, a Casa Civil da Presidência da República, dezenas de reuniões técnicas com a Petrobras e com o próprio governo da Bolívia.

O governador Silval Barbosa, que está em São Paulo junto ao secretário de Indústria, Comércio, Minas e Energia, Pedro Nadaf, secretário-chefe da Casa Civil, Eder Moraes, e o diretor da Termoelétrica, Fábio Garcia, para concluir o assunto, disse a respeito que “encerramos longas articulações ao longo dos três últimos anos, e conquistamos a reentrada em funcionamento de uma usina de 480 megawatts cujas atividades vão ajudar muito o desenvolvimento de Mato Grosso, além de contribuir com a estabilidade no fornecimento de energia elétrica e recuperar o funcionamento do gasoduto Bolívia-Cuiabá. Ao final, teremos uma melhor distribuição de energia elétrica no Estado”.

O Governo do Estado realizou cinco visitas à Bolívia, e três reuniões junto a representantes da Petrobras e Ministério de Minas e Energia. O governador Silval Barbosa fez a última viagem à Santa Cruz de La Sierra (BO) em outubro do ano passado. De lá para cá os dois países precisaram adequar a legislação para que o contrato, enfim, pudesse ser assinado.

Com a retomada do funcionamento da usina a gás, retornam também a regularização do uso veicular do gás e do uso industrial do gás e assegura o processo de crescimento econômico de Mato Grosso. Com o contrato, a usina volta a operar em breve e gerar até 70% da demanda da energia em Mato Grosso.

A ação gera reflexos positivos na indústria e garante a manutenção do abastecimento de gás veicular. A MT Gás, companhia responsável pela distribuição do gás natural veicular (GNV) e que abastece algumas indústrias de Cuiabá, recebe hoje até 35 mil metros cúbicos ao dia, dependendo da demanda. Com a consolidação das negociações, o fornecimento de gás a Cuiabá também ficará assegurado.

A reativação da usina garantirá regularidade no fornecimento de energia a Mato Grosso.

HISTÓRICO

A Termoelétrica de Cuiabá, com potência total local de 510 MW, é constituída de duas turbinas a gás tipo V84.3A de 159 MW de potência cada e uma turbina a vapor de 192 MW de potência, e entrou em funcionamento outubro de 1998.

O fornecimento de gás à usina termelétrica foi interrompido totalmente no dia 26 de agosto de 2007. Desde então, ela está desativada. O processo que culminou na interrupção do fornecimento começou em maio de 2006, quando o governo boliviano passou à estatal Yacimientos Petrolíferos e Fiscales Bolivianos (YPFB) a propriedade, posse e comercialização do gás natural boliviano.

A medida obrigou a térmica de Cuiabá a assinar um novo contrato de fornecimento junto a YPFB. As negociações começaram em meados de 2006.

 fonte: Secom