Governo do Estado dá continuidade na redução do déficit habitacional em Cuiabá

O Governo do Estado, por meio da Secretaria das Cidades (Secid), tem dado continuidade nas ações de redução do déficit habitacional em Cuiabá, com a assinatura de convênio para a construção de mais de duas mil unidades habitacionais. Segundo o secretário adjunto de Habitação, Tércio de Almeida, a meta é de que até o fim …

09/04/2011 14:31



O Governo do Estado, por meio da Secretaria das Cidades (Secid), tem dado continuidade nas ações de redução do déficit habitacional em Cuiabá, com a assinatura de convênio para a construção de mais de duas mil unidades habitacionais. Segundo o secretário adjunto de Habitação, Tércio de Almeida, a meta é de que até o fim deste Governo sejam construídas oito mil moradias na Capital. Para o Estado estão previstas 44 mil unidades habitacionais.
A Secid tem desenvolvido um trabalho de retirada de famílias que residem em áreas de risco e vulnerabilidade social. A primeira ação foi feita com as famílias residentes no bairro Praeirinho. Elas viviam em uma área considerada de preservação ambiental e de risco e foram remanejadas para outra área, próxima ao local onde moravam. A mudança foi realizada em fevereiro deste ano. Com esse trabalho, das 4.624 mil casas construídas no governo anterior, 2.311 serão entregues até maio deste ano às famílias que vivem nessas mesmas áreas da região metropolitana.
Para a aquisição desse novo imóvel, essas famílias terão que pagar uma quantia mensal que varia entre os valores de R$ 50 e R$ 139, conforme decisão tomada com base na portaria nº 140/2010 do Ministério das Cidades, que destina 50% das moradias construídas pelo programa habitacional Minha Casa, Minha Vida à população que reside nessas áreas. Esse programa também atende famílias que vivem nessas mesmas áreas na cidade de Várzea Grande.
O Governo do Estado mantém outros programas sociais como o Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab), Minha Casa, Minha Vida e o Bolsa de Materiais de Construção, com o propósito de reduzir o déficit habitacional. Essas casas são construídas em formas de condomínios residenciais e conjuntos habitacionais, localizadas em áreas urbanas e rurais. No governo anterior, entre os anos 2003 e 2010 foram construídas 10.010 casas, em Cuiabá, com um investimento de aproximadamente R$ 40,6 milhões.
Para participar desses programas, as pessoas devem ter renda familiar de até R$1.395,00. Assim como a enfermeira Ackerman Salvia Fortes, de 30 anos, que quando foi contemplada possuía uma renda de R$ 700,00. Mãe de um casal de filhos, ela estava inscrita no Programa de Arrendamento Residencial (PAR). “Quando recebi a casa foi uma felicidade enorme saber que eu e meus filhos, a partir daquele momento, teríamos uma casa própria para morar”, disse a jovem, que antes de se mudar dividia a casa com a mãe, o padrasto e outros três irmãos.
Localizado no bairro Recanto dos Pássaros, o condomínio onde Ackarman reside conta com total infraestrutura como energia, asfalto, rede de água e saneamento e também uma área de lazer com praça e playground. “A localização é ótima. Um lugar distante do tumulto da cidade, cercada de verde. Um espaço muito bom para criar meus filhos”, completou a enfermeira.
Para o secretário adjunto Tércio, a meta do Governo Silval Barbosa é contribuir ainda mais para que outras famílias, como a de Ackerman, realizem o tão desejado sonho da casa própria. “O Governo tem uma linha social muito forte. Um exemplo disso é esse trabalho voltado para a redução do déficit habitacional do Estado, inclusive o da capital. Um trabalho engajado que busca melhorar ainda mais a qualidade de vida aos cidadãos”, destacou.

O Governo do Estado, por meio da Secretaria das Cidades (Secid), tem dado continuidade nas ações de redução do déficit habitacional em Cuiabá, com a assinatura de convênio para a construção de mais de duas mil unidades habitacionais. Segundo o secretário adjunto de Habitação, Tércio de Almeida, a meta é de que até o fim deste Governo sejam construídas oito mil moradias na Capital. Para o Estado estão previstas 44 mil unidades habitacionais.
A Secid tem desenvolvido um trabalho de retirada de famílias que residem em áreas de risco e vulnerabilidade social. A primeira ação foi feita com as famílias residentes no bairro Praeirinho. Elas viviam em uma área considerada de preservação ambiental e de risco e foram remanejadas para outra área, próxima ao local onde moravam. A mudança foi realizada em fevereiro deste ano. Com esse trabalho, das 4.624 mil casas construídas no governo anterior, 2.311 serão entregues até maio deste ano às famílias que vivem nessas mesmas áreas da região metropolitana.
Para a aquisição desse novo imóvel, essas famílias terão que pagar uma quantia mensal que varia entre os valores de R$ 50 e R$ 139, conforme decisão tomada com base na portaria nº 140/2010 do Ministério das Cidades, que destina 50% das moradias construídas pelo programa habitacional Minha Casa, Minha Vida à população que reside nessas áreas. Esse programa também atende famílias que vivem nessas mesmas áreas na cidade de Várzea Grande.
O Governo do Estado mantém outros programas sociais como o Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab), Minha Casa, Minha Vida e o Bolsa de Materiais de Construção, com o propósito de reduzir o déficit habitacional. Essas casas são construídas em formas de condomínios residenciais e conjuntos habitacionais, localizadas em áreas urbanas e rurais. No governo anterior, entre os anos 2003 e 2010 foram construídas 10.010 casas, em Cuiabá, com um investimento de aproximadamente R$ 40,6 milhões.
Para participar desses programas, as pessoas devem ter renda familiar de até R$1.395,00. Assim como a enfermeira Ackerman Salvia Fortes, de 30 anos, que quando foi contemplada possuía uma renda de R$ 700,00. Mãe de um casal de filhos, ela estava inscrita no Programa de Arrendamento Residencial (PAR). “Quando recebi a casa foi uma felicidade enorme saber que eu e meus filhos, a partir daquele momento, teríamos uma casa própria para morar”, disse a jovem, que antes de se mudar dividia a casa com a mãe, o padrasto e outros três irmãos.
Localizado no bairro Recanto dos Pássaros, o condomínio onde Ackarman reside conta com total infraestrutura como energia, asfalto, rede de água e saneamento e também uma área de lazer com praça e playground. “A localização é ótima. Um lugar distante do tumulto da cidade, cercada de verde. Um espaço muito bom para criar meus filhos”, completou a enfermeira.
Para o secretário adjunto Tércio, a meta do Governo Silval Barbosa é contribuir ainda mais para que outras famílias, como a de Ackerman, realizem o tão desejado sonho da casa própria. “O Governo tem uma linha social muito forte. Um exemplo disso é esse trabalho voltado para a redução do déficit habitacional do Estado, inclusive o da capital. Um trabalho engajado que busca melhorar ainda mais a qualidade de vida aos cidadãos”, destacou.

fonte:Secom/MT