Desapropriações: pregão será realizado no próximo dia 20

O pregão para a escolha da empresa que fará a avaliação dos locais das desapropriações visando as obras de mobilidade urbana em Cuiabá e Várzea Grande será realizado na próxima quarta-feira (20). O evento será promovido pela Agência Estadual para Execução dos Projetos da Copa do Pantanal (Agecopa). A contratada fará os laudos técnicos que …

16/04/2011 10:57



O pregão para a escolha da empresa que fará a avaliação dos locais das desapropriações visando as obras de mobilidade urbana em Cuiabá e Várzea Grande será realizado na próxima quarta-feira (20). O evento será promovido pela Agência Estadual para Execução dos Projetos da Copa do Pantanal (Agecopa). A contratada fará os laudos técnicos que determinarão o valor para indenizar os donos dos imóveis que serão desocupados.
Mesmo sem definição concreta sobre o modelo de transporte público adotado para a Copa de 2014, o secretário extraordinário de Apoio Institucional às obras da Agecopa e do PAC, Djalma Sabo Mendes Júnior, afirma que o projeto elaborado é do Bus Rapid Transport (BRT), que está sob avaliação da Caixa Econômica Federal para o financiamento. “As discussões a respeito da adesão aos sistema de Veículos Leves sob Trilhos (VLT) não impedem o prosseguimento das decisões preliminares”.
Em protesto à falta de informações com relação ao sistema adotado e locais de intervenção, a Associação dos Locatários da Avenida Tenente Coronel Duarte (Prainha), promoveu nesta sexta-feira (15) mais uma manifestação. A proprietária de uma loja no endereço, Dilma Gaião, explica que com a mudança no comando da Agecopa, locatários e empresários querem chamar a atenção para a situação apreensiva que passam.
A sócia de uma papelaria, Aline Nunes, afirma que neste momento a maior reivindicação da associação é por informações. Segundo a empresária, não foi divulgado nada de concreto sobre o futuro da região. Além disso, diz que é preciso apresentar alternativas para os empresários, como locais para onde possam mudar e formar uma outra região comercial.
Sobre o pagamento de indenização aos locatários, Sabo Mendes ressalta que em um primeiro momento haverá a avaliação do valor pago aos proprietários e que depois será feita uma análise sobre a questão dos empresários que alugam os imóveis nas regiões onde haverá desapropriação.

O pregão para a escolha da empresa que fará a avaliação dos locais das desapropriações visando as obras de mobilidade urbana em Cuiabá e Várzea Grande será realizado na próxima quarta-feira (20). O evento será promovido pela Agência Estadual para Execução dos Projetos da Copa do Pantanal (Agecopa). A contratada fará os laudos técnicos que determinarão o valor para indenizar os donos dos imóveis que serão desocupados.
Mesmo sem definição concreta sobre o modelo de transporte público adotado para a Copa de 2014, o secretário extraordinário de Apoio Institucional às obras da Agecopa e do PAC, Djalma Sabo Mendes Júnior, afirma que o projeto elaborado é do Bus Rapid Transport (BRT), que está sob avaliação da Caixa Econômica Federal para o financiamento. “As discussões a respeito da adesão aos sistema de Veículos Leves sob Trilhos (VLT) não impedem o prosseguimento das decisões preliminares”.
Em protesto à falta de informações com relação ao sistema adotado e locais de intervenção, a Associação dos Locatários da Avenida Tenente Coronel Duarte (Prainha), promoveu nesta sexta-feira (15) mais uma manifestação. A proprietária de uma loja no endereço, Dilma Gaião, explica que com a mudança no comando da Agecopa, locatários e empresários querem chamar a atenção para a situação apreensiva que passam.
A sócia de uma papelaria, Aline Nunes, afirma que neste momento a maior reivindicação da associação é por informações. Segundo a empresária, não foi divulgado nada de concreto sobre o futuro da região. Além disso, diz que é preciso apresentar alternativas para os empresários, como locais para onde possam mudar e formar uma outra região comercial.
Sobre o pagamento de indenização aos locatários, Sabo Mendes ressalta que em um primeiro momento haverá a avaliação do valor pago aos proprietários e que depois será feita uma análise sobre a questão dos empresários que alugam os imóveis nas regiões onde haverá desapropriação.

Fonte: Gazeta