Mulheres são maioria entre servidores efetivos do Poder Executivo Estadual

As mulheres têm alcançado cada vez mais espaço no mercado de trabalho e no Governo do Estado a realidade não é diferente. Dos 37.216 servidores públicos concursados do Poder Executivo Estadual, a maioria é do sexo feminino, 18.928, o que representa 50,85% atuando na administração do governo. Já o número de servidores do sexo masculino …

16/04/2011 11:06



As mulheres têm alcançado cada vez mais espaço no mercado de trabalho e no Governo do Estado a realidade não é diferente. Dos 37.216 servidores públicos concursados do Poder Executivo Estadual, a maioria é do sexo feminino, 18.928, o que representa 50,85% atuando na administração do governo. Já o número de servidores do sexo masculino totaliza 18.288, ou seja, 49,15%.
Ao fazer o comparativo entre a escolaridade dos homens e mulheres que atuam na administração estadual, o sexo feminino leva vantagem principalmente no ensino superior. Atualmente, 18.984 servidores públicos efetivos de Mato Grosso possuem o terceiro grau completo. Destes, 11.330 são do sexo feminino, enquanto 7.654 são do sexo masculino.
Já o ensino médio concentra mais homens do que mulheres no Governo do Estado. Exatos 18.984 possuem o ensino médio completo, 9.025 do sexo masculino e 4.841 do feminino.
O ensino fundamental é a escolaridade que apresenta maior equilíbrio entre homens e mulheres no Poder Executivo Estadual. Ao todo, são 4.366 servidores efetivados com o primeiro grau completo. Destes, 2.757 são mulheres e 1.609 homens.
O quantitativo preciso dos níveis de escolaridade dos servidores do Governo de Mato Grosso pode ser observado prontamente pelo nível estratégico do Poder Executivo Estadual em função da criação do Boletim de Indicadores de Pessoal que possibilita informações precisas, completas, compreensíveis e úteis. Desta forma, as decisões podem ser tomadas com agilidade pela administração estadual.
Mato Grosso é o único Estado do país a elaborar o documento e dois já foram desenvolvidos. A atualização é realizada a cada quatro meses. O terceiro boletim já está sendo elaborado e será disponibilizado até o fim do mês pela Superintendência de Gestão de Pessoas da Secretaria de Estado de Administração (SAD).
A secretária-adjunta de Gestão de Pessoas da SAD, Sandra Almeida, explicou que o boletim de indicadores de pessoal possibilita avaliar as informações do quadro de servidores ativos e inativos do Poder Executivo Estadual. “Temos uma avaliação completa do perfil dos servidores públicos no aspecto funcional, desde o momento em que ele ingressa no Estado”, explicou.
O Boletim de Indicadores de Pessoal foi criado visando ampliar o conhecimento dos gestores de pessoas sobre o perfil do quadro de pessoal. “É uma metodologia mais dinâmica com informações rápidas, precisas e com confiabilidade”, avaliou Sandra.
O B.I. (Business Inteligence) também foi outra ferramenta essencial para a implantação do Boletim de Indicadores de Pessoal. Interligado com o Sistema Estadual de Administração de Pessoas (Seap), que possibilitou o agrupamento de dados, armazenando informações sobre a vida funcional do servidor, o BI, a partir de um ambiente amigável com o usuário, disponibiliza informações gerenciais em tabelas e gráficos dinâmicos que são atualizados conforme a inserção dos dados.

As mulheres têm alcançado cada vez mais espaço no mercado de trabalho e no Governo do Estado a realidade não é diferente. Dos 37.216 servidores públicos concursados do Poder Executivo Estadual, a maioria é do sexo feminino, 18.928, o que representa 50,85% atuando na administração do governo. Já o número de servidores do sexo masculino totaliza 18.288, ou seja, 49,15%.
Ao fazer o comparativo entre a escolaridade dos homens e mulheres que atuam na administração estadual, o sexo feminino leva vantagem principalmente no ensino superior. Atualmente, 18.984 servidores públicos efetivos de Mato Grosso possuem o terceiro grau completo. Destes, 11.330 são do sexo feminino, enquanto 7.654 são do sexo masculino.
Já o ensino médio concentra mais homens do que mulheres no Governo do Estado. Exatos 18.984 possuem o ensino médio completo, 9.025 do sexo masculino e 4.841 do feminino.
O ensino fundamental é a escolaridade que apresenta maior equilíbrio entre homens e mulheres no Poder Executivo Estadual. Ao todo, são 4.366 servidores efetivados com o primeiro grau completo. Destes, 2.757 são mulheres e 1.609 homens.
O quantitativo preciso dos níveis de escolaridade dos servidores do Governo de Mato Grosso pode ser observado prontamente pelo nível estratégico do Poder Executivo Estadual em função da criação do Boletim de Indicadores de Pessoal que possibilita informações precisas, completas, compreensíveis e úteis. Desta forma, as decisões podem ser tomadas com agilidade pela administração estadual.
Mato Grosso é o único Estado do país a elaborar o documento e dois já foram desenvolvidos. A atualização é realizada a cada quatro meses. O terceiro boletim já está sendo elaborado e será disponibilizado até o fim do mês pela Superintendência de Gestão de Pessoas da Secretaria de Estado de Administração (SAD).
A secretária-adjunta de Gestão de Pessoas da SAD, Sandra Almeida, explicou que o boletim de indicadores de pessoal possibilita avaliar as informações do quadro de servidores ativos e inativos do Poder Executivo Estadual. “Temos uma avaliação completa do perfil dos servidores públicos no aspecto funcional, desde o momento em que ele ingressa no Estado”, explicou.
O Boletim de Indicadores de Pessoal foi criado visando ampliar o conhecimento dos gestores de pessoas sobre o perfil do quadro de pessoal. “É uma metodologia mais dinâmica com informações rápidas, precisas e com confiabilidade”, avaliou Sandra.
O B.I. (Business Inteligence) também foi outra ferramenta essencial para a implantação do Boletim de Indicadores de Pessoal. Interligado com o Sistema Estadual de Administração de Pessoas (Seap), que possibilitou o agrupamento de dados, armazenando informações sobre a vida funcional do servidor, o BI, a partir de um ambiente amigável com o usuário, disponibiliza informações gerenciais em tabelas e gráficos dinâmicos que são atualizados conforme a inserção dos dados.

fonte: Secom/MT