Repactuar dívida do Estado é o principal objetivo da viagem do governador Silval Barbosa

O governador Silval Barbosa, no programa radiofônico diário, Bom Dia Governador desta quinta-feira (28.04), fala de sua viagem à São Paulo, Portugal e Londres e dos objetivos da mesma para os ouvintes cativos do programa. “Muitos perguntam: o que o governador vai fazer em São Paulo?”, abriu o seu diálogo com os ouvintes para explicar …

28/04/2011 14:21



O governador Silval Barbosa, no programa radiofônico diário, Bom Dia Governador desta quinta-feira (28.04), fala de sua viagem à São Paulo, Portugal e Londres e dos objetivos da mesma para os ouvintes cativos do programa. “Muitos perguntam: o que o governador vai fazer em São Paulo?”, abriu o seu diálogo com os ouvintes para explicar que o principal foco da viagem é a renegociação da dívida do Estado de Mato Grosso.

“A dívida – explica Silval Barbosa – foi contraída em 1998 e ela já foi renegociada várias vezes, mas ainda pagamos uma carga muito alta de juros”, enfatizou. Segundo ele, no ano de 2010 foram pagos R$ 876 milhões, com juros mais de 18%. É a soma do IPGDI, que deu 11,32% e mais 6,5% que é indexado pelo Governo Federal. “Uma conta dessas é um sacrifício enorme para o Estado e estou trabalhando para reestruturar essa dívida dentro de um indexador que o Estado possa suportar. Honrar, sim; pagar as contas, sim. Nunca dar calote, mas pagar dentro das condições do mercado de hoje”.

Silval Barbosa disse que Mato Grosso tentou negociar com o Governo Federal mas não foi possível sob a alegação de que não poderia, pois teria que abrir o mesmo precedente para todos estados e todos os municípios.

“Mas nós obtivemos da presidenta Dilma Rousseff uma autorização para que pudéssemos ir renegociar essa divida junto ao mercado. Estou indo, portanto, para uma reunião com a diretoria do Banco Safra e do BS – União dos Bancos Suíços”. Silval Barbosa disse que já tem propostas de cada uma das entidades financeiras com juros bem menores que os praticados atualmente. “Queremos ainda, trazer essa dívida – que faltam 18 anos para pagar – para dez anos e diminuir, assim, oito anos. Vamos pagar menos, diminuir os prazos e ainda sobrar para investimentos. Por isso estou indo a São Paulo”, explicou.

Depois de São Paulo, Silval Barbosa vai até Londres, onde está a sede do Banco do Brasil de Investimento Mundial, e já tem agendada uma audiência também para tratar da dívida. “Aquele que oferecer o melhor preço, é com o qual vamos renegociar”, afirma.

O governador condiciona que, se conseguir fechar essa engenharia planejada pela equipe econômica do governo “Mato Grosso vai passar por um avanço muito grande e o Estado vai ter uma capacidade de investimento muito maior”. E cita como exemplo o próprio orçamento do Estado – que prevê o desembolso de R$ 1 bilhão para pagamento dos juros. Pela engenharia financeira montada, dentro da repactuação, de encurtar os prazos, nos primeiros 3 anos, o Estado vai desembolsar apenas R$ 300 milhões, sobrando outros R$ 700 milhões para investimentos, como construção de estradas – enfim, investir na logística para que Mato Grosso possa receber mais investimentos para o desenvolvimento econômico do Estado.

Em Portugal, o governador Silval Barbosa vai conhecer o modelo do modal de transporte urbano VLT, e conversar com os empresários do segmento, ouvir as propostas, se há possibilidade de firmar parcerias PP (público-privada), bem como saber da tarifa para o usuário final dos transportes.

Silval Barbosa se comprometeu, ao retornar, a fazer um balanço da viagem, os pontos que foram conquistados, principalmente quanto à questão da dívida do estado.

Antes do embarque, no Aeroporto Marechel Rondon, o governador Silval Barbosa transmitiu o cargo ao vice-governador Chico Daltro, que passa a responder pelo Executivo.

 fonte: Secom/MT