Inflação oficial diminui depois de oito semanas em alta

Pela primeira vez em oito semanas, a projeção da inflação oficial no país, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), caiu em 2011 de 6,37% para 6,33% segundo o boletim Focus, publicado nesta segunda-feira (9) pelo Banco Central (BC). A projeção menor veio logo após o Instituto de Geografia e Estatística (IBGE) divulgar, …

09/05/2011 12:43



Pela primeira vez em oito semanas, a projeção da inflação oficial no país, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), caiu em 2011 de 6,37% para 6,33% segundo o boletim Focus, publicado nesta segunda-feira (9) pelo Banco Central (BC). A projeção menor veio logo após o Instituto de Geografia e Estatística (IBGE) divulgar, na última sexta, que a inflação para os 12 meses encerrados em abril havia superado o teto da meta, de 6,5%.

Embora tenha passado a meta, a inflação registrada pelo IBGE em abril teve leve retração de 0,2 ponto percentual, tendo fechado o mês em 0,77%. Com isso, a expectativa dos analistas é de que, daqui para a frente, o IPCA vá diminuindo ao longo do ano e feche 2011 dentro do limite da meta – embora não consiga atingir ainda o centro dessa meta, que é de 4,5%.

A principal ferramenta do governo para conter a inflação é a taxa básica de juros, a Selic, que é aumentada toda vez que se percebe uma ameaça de alta inflacionária. Neste ano, o BC já aumentou a taxa para 12% ao ano – foram 0,50 pontos percentuais em janeiro e março e 0,25 ponto percentual em abril.

Apesar da redução do ritmo de alta da Selic no mês passado, o BC indicou que o processo de elevação deve ser longo. “O Copom [Comitê de Política Monetária do BC] entende, de forma unânime, que, diante das incertezas quanto ao grau de persistência das pressões inflacionárias recentes, e da complexidade que envolve hoje o ambiente internacional, o ajuste total da taxa básica de juros deve ser, a partir desta reunião, suficientemente prolongado”, diz a ata do Copom, divulgada em abril.

Para o final deste ano, a previsão da Selic é de 12,50% ao ano, e para 2012 a estimativa da taxa foi reajustada de 12% para 12,5% ao ano. Já o IPCA deve fechar 2012 em 5%.

Outros índices inflacionários também foram revistos pela projeções dos analistas do BC. A expectativa para o Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (IPC-Fipe), neste ano, passou 5,71% para 5,82%. Para 2012, a estimativa permanece em 4,78%.

O Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) oscilou de 7,01% para 7%, neste ano. No caso do Índice Geral de Preços de Mercado (IGP-M), a alteração foi de 6,90% para 6,92%. Para esses dois índices, a projeção é de 5%, em 2012.

Fonte:Época