Moradores receberão visitas de técnicos para avaliação dos imóveis que serão desapropriados

A partir da próxima semana os moradores de seis avenidas de Cuiabá começarão a receber a visita de técnicos para fazer a avaliação dos imóveis que serão desapropriados por causa das obras de desbloqueio para a Copa do Mundo de 2014. Os projetos de intervenção para essas vias estão em fase de licitação e devem …

13/05/2011 08:19



A partir da próxima semana os moradores de seis avenidas de Cuiabá começarão a receber a visita de técnicos para fazer a avaliação dos imóveis que serão desapropriados por causa das obras de desbloqueio para a Copa do Mundo de 2014. Os projetos de intervenção para essas vias estão em fase de licitação e devem começar a ser executados em menos de 60 dias, de acordo com previsão da Agência de Execução dos Projetos da Copa (Agecopa).

O decreto declarando de utilidade pública as áreas, que será publicado no Diário Oficial do Estado, é considerado o primeiro passo para o processo de desapropriação dos imóveis. “A publicação [do decreto] significa que o poder público pode entrar nos imóveis a fim de começar a fazer as avaliações de cada um”, explicou o secretário extraordinário de Apoio às Ações da Agecopa e PAC, Djalma Sabo Mendes.

Os levantamentos começarão a ser feitos nas avenidas Doutor Meireles (Coxipó), Barão de Melgaço (Porto), Senegal (Jardim Aclimação), Juliano Costa Marques (Bela Vista/São Carlos) e rua das Mangueiras (Coxipó). De acordo com o secretário, as visitas dos técnicos do consórcio Diefra/Cappe, que fará o estudo, iniciam na próxima semana.

A quantidade de imóveis que precisarão ser desocupados nesses trechos não foi informada pelo titular da Pasta. No entanto, a expectativa é que a avenida Doutor Meirelles – que inclui parte de bairros como Tijucal e Jardim dos Ipês – concentre a maior quantidade de desapropriações.

As intervenções de desbloqueio vão anteceder as grandes obras do projeto de mobilidade urbana, como viadutos e trincheiras, nas principais avenidas da cidade e vão servir de alternativa ao tráfego intenso dessas grandes vias. Estão previstas mais de 20 intervenções desse tipo.

O Estado trabalha com a estimativa de serem necessárias aproximadamente 1,2 mil desapropriações para a execução de todo o projeto de mobilidade urbana em Cuiabá e Várzea Grande para o Mundial.

LICENÇAS AMBIENTAIS – Na quarta-feira passada, o presidente da Agecopa, Éder Moraes, reuniu-se com representantes do Conselho Estadual do Meio Ambiente (Consema) para pedir rapidez na análise dos pleitos de licença ambiental de parte dos projetos de mobilidade urbana. Sem as licenças, os editais das obras não podem ser lançados.

A Agecopa considera prioritários os projetos de duplicação das ruas Bela Vista, 1º de Maio e Benedito Camargo e as obras das marginais do Córrego do Barbado. Os processos devem ser analisados até hoje.

 fonte: Diário de Cuiabá