Definidos em Cuiabá os pontos de desapropriação para a Copa de 2014

O governo do estado definiu seis dos 17 pontos em que serão feitos os estudos de desapropriação para as obras da Copa de 2014, que tem Cuiabá como cidade-sede. O comerciante Mauricio José da Silva, que tem uma marmitaria na avenida Jurumirim há mais de 30 anos, está na rota de desapropriação. “Se sobrar espaço, …

15/05/2011 15:31



O governo do estado definiu seis dos 17 pontos em que serão feitos os estudos de desapropriação para as obras da Copa de 2014, que tem Cuiabá como cidade-sede. O comerciante Mauricio José da Silva, que tem uma marmitaria na avenida Jurumirim há mais de 30 anos, está na rota de desapropriação.
“Se sobrar espaço, a gente fica aqui mesmo. Se não sobrar, vai ter que caçar outro espaço. Não pode ficar parado. Isso aqui é o ganha-pão da gente”, declarou. Segundo o governo, essas áreas agora passam a ser consideradas de utilidade pública. A partir da próxima semana, os moradores e comerciantes, que possuem imóveis nesses 6 pontos de desbloqueio na capital, começam a receber a visita dos técnicos que irão fazer a avaliação.
O secretário extraordinário Djalma Sabo Mendes Jr. informa como os proprietários devem proceder no caso das desapropriações. “Se houver a concordância amigável, já faremos a publicação do termo de conformidade, transferindo o imóvel para o Estado. Caso ele discorde daquele valor que foi oferecido, o Estado ingressa com uma ação de desapropriação onde fica se discutindo o valor, mas isso não impede de que as obras iniciem.”
Os seis pontos onde haverá desapropriação são: avenida Jurumirim, no trecho entre a avenida Ulisses Guimarães e o terminal do CPA 3; avenida Dr. Meirelles, entre as avenidas Arquimedes Pereira Lima e das Torres; rua das Mangueiras, entre as avenidas Carmindo de Campos e Fernando Corrêa; rua Barão de Melgaço, entre as avenidas Oito de Abril e Miguel Sutil; na avenida Senegal, entre as avenidas Historiador Rubens de Mendonça e Juliano Costa Marques, e na própria Juliano Marques, entre a rotatória da avenida Senegal até a Avenida dos Trabalhadores.

Fonte: G1