Ministra pede apoio à arte popular durante abertura de exposição em Brasília

A ministra da Cultura, Ana de Hollanda, participou, no Museu Nacional de Brasília, da abertura da exposição O Brasil na Arte Popular – Acervo Museu Casa do Pontal, que ficará aberta ao público até 26 de junho, com 1.500 obras de 70 artistas populares, a maior do gênero já realizada no país. Durante a cerimônia, …

20/05/2011 09:34



A ministra da Cultura, Ana de Hollanda, participou, no Museu Nacional de Brasília, da abertura da exposição O Brasil na Arte Popular – Acervo Museu Casa do Pontal, que ficará aberta ao público até 26 de junho, com 1.500 obras de 70 artistas populares, a maior do gênero já realizada no país. Durante a cerimônia, quando representou a presidenta da República, Dilma Rousseff, Ana de Hollanda destacou a importância da Cultura Popular para o Brasil.

“Todos sabemos o quanto a nossa variedade cultural é espantosa. Ela vai dos cantos ensolarados das feiras populares do Nordeste à alegria colorida da periferia de São Paulo e aos tambores de São Luís do Maranhão. E se manifesta de mil formas, com materiais muito diversos, em objetos igualmente ou mesmo infinitamente variados. Na culinária, no artesanato, nas expressões místicas, no linguajar”, afirmou a ministra.

Ana de Hollanda lembrou ainda, em sua fala na abertura do evento, que a pluralidade de nossas manifestações populares de cultura precisa ser estimulada, incentivada e financiada. “Temos de apostar nessa variedade. Temos de apostar na criatividade técnica e estética de nosso povo”, conclamou.

A mostra

Com curadoria de Ângela Mascelani, diretora do Museu Casa do Pontal, a exposição reúne obras da coleção do designer francês, Jaques Van de Beuque, iniciada há mais de 50 anos. A mostra faz ainda uma homenagem ao Mestre Vitalino, (1909-1963), um ícone da arte popular brasileira que faria 102 anos no mês de julho.

O Brasil na Arte Popular – Acervo Museu Casa do Pontal ocupará todo o museu, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, e conta com a montagem elaborada por Evelyn Grumach com o objetivo de propiciar ao público uma visão perfeita da arte popular brasileira. Na entrada, um painel azul, com 20 metros de extensão, terá barcos suspensos, uma referência ao Rio São Francisco, importante eixo na produção da arte popular que atravessa os estados de Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Sergipe e Alagoas. A partir daí o visitante irá percorrer a mostra em um roteiro que remete às viagens de Van Beuque em busca das obras da sua coleção.

A exposição é patrocinada pelo BNDES e o Museu Casa do Pontal, do Rio de Janeiro, e conta com apoio do Ministério da Cultura, da Vale e da Petrobras.

Fonte:MinC