MEC vai apurar gasto de R$ 13,6 milhões com livros que ensinam matemática errado

O MEC (Ministério da Educação) vai abrir uma auditoria para apurar os responsáveis pelos erros em 7 milhões de livros de uma coleção usada como material de apoio em escolas públicas na zona rural do país. Ao todo, o governo pagou R$ 13,6 milhões pela impressão das obras. Cada um dos exemplares da coleção Escola …

04/06/2011 11:27



O MEC (Ministério da Educação) vai abrir uma auditoria para apurar os responsáveis pelos erros em 7 milhões de livros de uma coleção usada como material de apoio em escolas públicas na zona rural do país. Ao todo, o governo pagou R$ 13,6 milhões pela impressão das obras.

Cada um dos exemplares da coleção Escola Ativa possui 35 livros – no total, 200 mil coleções foram impressas e distribuídas. Há páginas em branco, textos sem continuidade, contas matemáticas erradas (um trecho aponta que 10 menos 7 é igual a 4 e outro diz que 16 menos 8 é igual a 6), tabuadas equivocadas e outros problemas.

O problema foi detectado em fevereiro, segundo o ministério. A pasta afirmsa que os erros são na maioria de revisão, e eram tão grosseiros que não bastava divulgar uma correção – era preciso suspender a aplicação dos livros do Escola Ativa, o que foi feito.

O MEC afirma que a orientação dada para os professores é não usar o material em sala de aula – a preferência deve ser por livros didáticos. Os livros errados foram enviados a 40 mil salas de aula em 3.109 municípios, presentes em todos os Estados do país.

Investigação

Os detalhes da investigação vão ser publicados no Diário Oficial da União na segunda-feira (6). A auditoria vai ser realizada em conjunto com a CGU (Controladoria-Geral da União).

A pasta afirma que vai fazer uma reunião com os coordenadores de escolas da zona rural para decidir o que fazer com relação à coleção de livros. A última versão da coleção Escola Ativa foi impressa por uma gráfica de Curitiba.

fonte: R7