Tecnologia inédita revoluciona mercado de sementes

Soesp Advanced proporciona sementes uniformes, com precisão na semeadura, maior tolerância ao estresse hídrico e resistência ao estresse mecânico, e redução do ataque de pássaros e insetos. A Soesp (Sementes Oeste Paulista) está lançando uma nova tecnologia no mercado que promete revolucionar o segmento de sementes forrageiras tropicais: a Soesp Advanced. Entre as cinco maiores …

05/06/2011 10:24



Soesp Advanced proporciona sementes uniformes, com precisão na semeadura, maior tolerância ao estresse hídrico e resistência ao estresse mecânico, e redução do ataque de pássaros e insetos.
A Soesp (Sementes Oeste Paulista) está lançando uma nova tecnologia no mercado que promete revolucionar o segmento de sementes forrageiras tropicais: a Soesp Advanced. Entre as cinco maiores empresas do mundo nesse segmento – a Soesp desenvolveu, em parceria com a Alcobering, a tecnologia inédita para ‘blindar’ as sementes de forrageiras, isto é, torná-las mais eficientes frente às principais dificuldades vivenciadas pelos produtores.
Basta o produtor pegar um punhado delas nas mãos, para verificar que são tão regulares, uniformes e antiaderentes, que é possível semeá-las utilizando qualquer semeadora já disponível na propriedade. De acordo com o engenheiro agrônomo e diretor-superintendente da Soesp, Itamar Oliveira Júnior, foram cinco anos de pesquisas e testes para desenvolvimento da tecnologia.
Ele explica que as Soesp Advanced também são tratadas industrialmente com inseticida e fungicida na dose precisa, evitando excessos ao meio ambiente. “O nível de ataque de formigas e pássaros é muito baixo se comparado às sementes comuns. O ataque de pássaros é praticamente zero”, pontua o pesquisador da Alcobering, Edson Coca, destacando alguns dos resultados obtidos no período de testes.
O curso de Agronomia da Unoeste (Universidade do Oeste Paulista) testou as sementes Soesp Advanced para verificar como a nova tecnologia se aplica na semeadura, utilizando-se semeadoras para sementes graúdas, como milho e soja. Segundo o coordenador do curso, Carlos Sérgio Tiritan, graças à densidade e regularidade das sementes, elas foram aprovadas.
Responsável técnico pelos testes, o professor Paulo Claudinei Gomes da Silva pontua que a precisão na semeadura, além de gerar significativa economia  na quantidade de sementes por hectare, possibilita o plantio consorciado, por exemplo, milho e forrageira. Entusiasmado com os resultados dos testes, Silva acredita que a tecnologia aplicada à semente “colocou a Soesp Advanced  anos luz à frente do que se tem hoje no mercado”.
O coordenador comercial da Soesp, engenheiro agrônomo Lessandro Cavalli, cita ainda, outra vantagem: as sementes são mais tolerantes ao estresse hídrico. “Quando testadas em condições adversas, as Soesp Advanced tiveram maior longevidade em comparação às sementes convencionais e, ainda, apresentaram maior resistência ao estresse mecânico”, pontua.
A Soesp construiu uma nova indústria em Presidente Prudente, Oeste de São Paulo, com equipamentos desenvolvidos exclusivamente para a produção da Soesp Advanced, que é totalmente automatizada. A Soesp Advanced foi lançada no mercado em maio e está disponível para os produtores em todas as regiões do País.
Pesquisador da Embrapa testa Advanced
Gessi Ceccon, pesquisador da Embrapa Agropecuária Oeste MS, é uma autoridade nacional quando o assunto é agricultura-pecuária. Ele avaliou a performance da Soesp Advanced com resultados “muitos positivos”, segundo definiu.
Entre as qualidades da tecnologia Advanced , o pesquisador ficou impressionado com a densidade das sementes. “A razão é muito simples: essas sementes permitem ao agricultor estabelecer um consórcio com população uniforme de plantas e braquiárias”, pontua. “A precisão é um ponto forte”, diz Ceccon, ressaltando que a Soesp Advanced proporciona ao produtor “condições operacionais ao plantio com qualidade”.
“No consórcio intercalar não há necessidade de se colocar mais de dois quilos por hectare e com a Soesp Advanced isso foi possível. Nos testes, encontrei pureza e densidade, de modo que o agricultor consegue usar pouca quantidade, num plantio de qualidade”, afirma Ceccon.
Há sete anos, ele se dedica à pesquisa do consórcio milho-braquiária e, desde o início, encontrou nas sementes da forrageira “um ponto fraco” para o desenvolvimento da atividade consorciada. “Avaliei todas as sementes que encontrei no mercado, já que a semente é um fator muito importante para o sucesso da agricultura-pecuária. A experiência com a Soesp Advanced foi muito boa”, avalia Ceccon.Segundo avaliação da Superintendência Técnica da CNA, a taxa de crescimento do PIB, apurada pelo IBGE, registra somente o aumento da produção e a metodologia considera apenas a produção e os preços constantes, ou seja, os mesmos de 2010. Assim, a expectativa é que os próximos números do IBGE indiquem crescimento ainda maior da atividade agropecuária, pois a estimativa trará o resultado final da safra de grãos e o início do período de recuperação de preços, além do aumento da produção e dos preços da pecuária. A estimativa é que o PIB da agropecuária feche o ano de 2011 com crescimento de cerca de 9%.

Fonte:Portal do Agronegócio