Novas tecnologias para a cafeicultura em destaque

O evento realizado pela Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG), na Fazenda Experimental de Três Pontas (Sul de Minas) traz novidades em máquinas, equipamentos e insumos para o segmento. Os visitantes poderão acompanhar em 133 estandes e 21 dinâmicas de campo inovações para a modernização das lavouras cafeeiras. Máquinas disponíveis no mercado como …

16/06/2011 11:24



O evento realizado pela Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG), na Fazenda Experimental de Três Pontas (Sul de Minas) traz novidades em máquinas, equipamentos e insumos para o segmento.

Os visitantes poderão acompanhar em 133 estandes e 21 dinâmicas de campo inovações para a modernização das lavouras cafeeiras. Máquinas disponíveis no mercado como derriçadeiras, atomizadores, pulverizadores, colheitadeiras, recolhedoras podem ser conferidas durante o evento, além de equipamentos que buscam redução de custo e sustentabilidade da atividade. Entre os destaques estão: descascadora e despolpadora de café que praticamente não utiliza água no processo. O equipamento usa cinco vezes menos água que os outros disponíveis no mercado. Enquanto os convencionais gastam um litro de água para um litro de café, este equipamento utiliza 200 ml de água para cada litro de café; recolhedora com menor custo e mesmo desempenho também pode ser conferida. Segundo técnicos, a máquina foi projetada para operar em tratores com faixa de potência de 50 cv. Eles afirmam que 53 hectares de cafés recolhidos são suficientes para pagar o investimento. Outra novidade é uma colhedora elétrica que ainda está em fase de estudo por uma incubadora da Universidade Federal de Lavras (Ufla). O equipamento pode apresentar tanto menor custo para aquisição quanto para manutenção.

Os participantes estão tendo a oportunidade de visitar o cafezal da Fazenda de Três Pontas e conhecer as cultivares de café resultantes de vários anos de pesquisa. Técnicos e pesquisadores do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) visitaram pela primeira vez a Expocafé. De acordo com a pesquisadora da Embrapa/Incaper Maria Amélia Ferrão o objetivo é verificar as tecnologias para mecanização que podem ser adaptadas as lavouras de café Conillon do Espírito Santo. “Na região Nordeste do estado produzimos quatro milhões de sacas de Conillon em região menos inclinada em que pode ser implantada mecanização”, explica. Segundo a pesquisadora, o intercâmbio na Expocafé tem como objetivo difundir tecnologias em uma região do Espírito Santo que produz cerca de 50% do café do Espírito Santo e que ainda não aplica mecanização na lavoura cafeeira.

Nesta edição da Expocafé, pela primeira vez, está sendo oferecido treinamento para operadores de máquina. São quatro cursos diários com capacidade para 30 pessoas, com os temas: manutenção preventiva e corretiva de derriçadores de café, de motores de dois tempos e importância da colheita mecanizada nas lavouras cafeeiras.

Audiência Pública

A Audiência Pública da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, que será realizada nessa quinta-feira (16), de 10h às 13h30, abordará temas de interesse dos cafeicultores da região, como: Importância da Pesquisa e da Transferência de Tecnologia e Papel das Cooperativas na Sustentabilidade da Cafeicultura do Sul de Minas.  Na Audiência Pública também serão apresentadas propostas do Governo de Minas para o Fundo Estadual do Café, que entra em vigor no ano que vem. Além dos deputados estaduais, também participará da Audiência Pública o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Elmiro Nascimento. também pela primeira vez será realizado treinamento para operadores de máquinas agrícolas, com o objetivo de capacitação de trabalho na lavoura cafeeira. Os cursos serão oferecidos pelas empresas participantes da EXPOCAFÉ 2011.

Fonte:Portal do Agronegócio