Editora Carlini & Caniato/TantaTinta faz Festival de Livros na Casa Ferraz

Neste sábado (18) acontece o 9º Festival de Livros, uma iniciativa da Carlini & Caniato Editorial. Com a proposta de difusão da literatura mato-grossense, neste evento serão lançados seis livros que representam o potencial e a diversidade da indústria editorial de Mato Grosso. O Festival sela novas parcerias envolvendo empresas que atuam em diferentes áreas …

18/06/2011 10:19



Neste sábado (18) acontece o 9º Festival de Livros, uma iniciativa da Carlini & Caniato Editorial. Com a proposta de difusão da literatura mato-grossense, neste evento serão lançados seis livros que representam o potencial e a diversidade da indústria editorial de Mato Grosso. O Festival sela novas parcerias envolvendo empresas que atuam em diferentes áreas e que apostam na Cultura, como um valor agregado importante.

A celebração literária terá lugar na Casa Ferraz, espaço tipicamente cuiabano, que vem combinando cultura com gastronomia. Das oito da manhã até as quatorze horas acontecem o lançamento dos livros, um brunch ao estilo regional e também audições de violão, viola de cocho e contrabaixo, com um repertório que explora a sofisticação desses instrumentos. A maratona lítero-musical tem apoio cultural da Unihealth, empresa que atua em Mato Grosso desde 2007, no setor da logística de medicamentos.

Para honrar a nobre tradição das letras do estado, quatro obras póstumas e inéditas de Ricardo Guilherme Dicke, grande escritor brasileiro, natural de Chapada dos Guimarães (MT) e falecido há quase dois anos, chegam ao público. Um livro de arte bilingue do fotógrafo Laércio Miranda, radicado no estado desde 1990, e outro do ficcionista Romulo Nétto, mineiro que aportou em Cuiabá há décadas, serão lançados.

A Carlini & Caniato Editorial, fundada em 1998 vem se despontando como uma das principais editoras regionais ao apoiar incondicionalmente a Literatura produzida em Mato Grosso.

Ao lançar simultaneamente quatro obras inéditas de Ricardo Dicke (1936 – 2009) consolida-se como expoente da produção literáriade aqui realizada e distribuida para todo Brasil. Dicke, vale lembrar, foi projetado nacionalmente em 1968 ao vencer um dos principais prêmios das letras brasileiras (Walmap), com “Deus de Caim”, num concurso que tinha entre os jurados Jorge Amado e Guimarães Rosa, que apontou o autor mato-grossense como uma revelação que chegava para agitar a criação literária nacional.

Além desse prêmio, Dicke conquistou vários outros em nível de Brasil, tendo o pleno reconhecimento dos especialistas na arte da escrita. Deixou mais de dez livros publicados.

O romance “Cerimônias do Sertão”, a novela “Os Semelhantes”, o livro de contos “A proximidade do mar & A Ilha” e “O Velho Moço e outros contos”, este último escrito poucos meses antes do escritor falecer, são obras que revelam a consistência de uma escrita única, que ainda precisa ser mais conhecida e estudada.

Para o editor Ramon Carlini, editar Dicke sempre foi um privilégio: “Ter a oportunidade de ter em mãos os originais de Dicke para editar é uma alegria e ao mesmo tempo uma responsabilidade muito grande, já que o autor não pôde participar do trabalho de edição, fazendo a leitura final das obras. Diante disso, contei com a assessoria da doutora em Literatura e escritora, Cristina Campos, na preparação dos originais (digitação, cotejo e revisão) e no cuidado com a preservação dos originais deixados pelo autor”.

O livro “Cores em Mato Grosso – gentes e paisagens”, de Laércio Miranda, destaca suas fotografias produzidas em Mato Grosso de forma surpreendente, explorando a enorme diversidade do estado, seus povos, culturas e belezas naturais. O sincretismo proporcionado por amalgamar culturas ancestrais, às diversas migrações e o vasto tamanho geográfico, o qual compreende 3 biomas, resulta na figura de pessoas e lugares singulares.

Poucos conhecem tão bem este lugar como Laércio Miranda, um apaixonado pelas causas ambientais, indígenas e dos povos da floresta. Ele é fotógrafo há mais de 30 anos. Trabalhou para grandes veículos como os jornais Folha de São Paulo, Estado de São Paulo e as revistas da Gazeta Mercantil. Como free lancer atuou em publicações de vários países como México, Peru, Estados Unidos, Inglaterra e Alemanha. Já morou em locais muito diversos, como a cidade de Londres e em aldeias Xavante. “Muito mais do que um livro de belíssimas fotografias, a obra surpreende pelo registro da pluralidade deste estado. Mesmo quem conhece bem o Mato Grosso reconhecerá que há muitos detalhes a serem ainda apreciados e valorizados, e para quem ainda não teve o prazer de explorá-lo, a obra aguça os sentidos e faz com que tenhamos a sede de percorrê-lo” ressalta Elaine Caniato.

“Não fala comigo! A história de um autista”, de Romulo Nétto, retrata a história de um casal no sertão brasileiro, que com sua simplicidade e grande sabedoria e sensibilidade, soube derrubar obstáculos, não permitindo à amargura do sofrimento privá-los de amarem e serem amados pelo filho que, em sua diferença, conseguiu quebrar o gelo da desconfiança e os grilhões do preconceito. Este é o décimo-primeiro livro de Romulo, um prosador singular que trabalhou na UFMT durante vários anos e, atualmente, tem se dedicado à criação literária com unhas e dentes. Seu estilo é envolvente e o revela um profundo observador da alma humana. “Romulo Nétto é hoje o mais atuante escritor da Carlini & Caniato e desponta como um dos talentos da Literatura Brasileira produzida em Mato Grosso, tendo seus livros lidos e respeitados por todo o Brasil. Surpreendeu personalidades como Cristovão Buarque, com o seu `Não Fala Comigo!´, que trata da causa do autismo e suas consequências para uma família, de forma amena, alegre e realista “, enfatiza Ramon Carlini.

Paisagem musical

O musicista Leonardo Boabaid Yule, cuiabano, radicado em Chapada dos Guimarães há vários anos, é o responsável pelas audições que temperam a festa das letras. Ele é bacharel em violão erudito, formado na Faam – Faculdade de Artes Alcântara Machado (SP), onde foi aluno de Henrique Pinto. Venceu importantes concursos musicais como o do Conservatório Souza Lima (SP) e o “Música de Câmara Bianca Bianchi” (PR). Domina instrumentos como o violão e o alaúde pantaneiro, mais conhecido como viola de cocho.
Acompanham Leonardo nesta jornada lítero-musical o experiente Fidel Fiori, exímio contrabaixista que passeia pelo erudito e o popular com desenvoltura e o jovem André Hirooka, jovem músico a trilhar pelos caminhos que só são percorridos por aqueles que trazem na alma a vocação para o virtuosismo.

SERVIÇO:
O QUE: 9º Festival de Livros da Carlini Caniato
ONDE: Casa Ferraz, Rua 24 de Outubro, 584
QUANDO: 18 de junho, das 8 às 14 horas
QUANTO: grátis
INFORMAÇÕES: (65) 3023-5714 (editora) / 3052-4588 (Casa Ferraz)

 fonte: Midia News