Economia verde cresce no mundo

Com a popularidade cada vez mais crescente no país, práticas e ações voltadas para a conservação do meio ambiente têm sido adotadas por diversos produtores rurais, que procuram adequar suas lavouras, seja para o sequestro de carbono ou economia de água. A Identificação e Criação de Oportunidades Para o Produtor Rural é um dos temas …

30/06/2011 15:52



Com a popularidade cada vez mais crescente no país, práticas e ações voltadas para a conservação do meio ambiente têm sido adotadas por diversos produtores rurais, que procuram adequar suas lavouras, seja para o sequestro de carbono ou economia de água. A Identificação e Criação de Oportunidades Para o Produtor Rural é um dos temas do Fórum Contexto Ambiental & Agronegócio, organizado pelo Portal Dia de Campo, no dia 30 de junho, em Uberlândia, Minas Gerais. Segundo Ederson Zanetti, doutor em Mudanças Climáticas Globais e Serviços Ecossistêmicos e Consultor do Instituto Ação Verde da Aprosoja, o conceito de economia verde tem crescido em todo o mundo.
 
A economia verde pretende chamar atenção para a responsabilidade das cadeias produtivas em relação ao compromisso ambiental e social. Quando observamos as propriedades rurais brasileiras em comparação ao restante do mundo nesse aspecto, vemos que o produtor rural no país tem várias vantagens competitivas para participar desse mercado, seja com suas áreas de reserva legal ou áreas de preservação permanente, que passam a ser fundamentais para melhorar a qualidade produtiva das cadeias do agronegócio nacional — afirma o doutor.
 
De acordo com ele, o tema tem sido muito desenvolvido fora do Brasil. Em território nacional, já começam a haver iniciativas através da avaliação do balanço de impactos ambientais e sociais das cadeias produtivas. No caso da produção de soja brasileira, ocorre um impacto causado pelos maquinários, principalmente no aspecto da emissão de carbono. Mas, diferente do que acontece em outros países do mundo, Zanetti diz que o produtor já conta com uma área de reserva legal para fazer um contrabalanço dessa emissão.
 
O Instituto Ação Verde tem identificado oportunidades, tanto em relação ao sequestro de carbono, como em relação à água. Para criar essas oportunidades, o produtor deve realizar seu balanço de emissões entre o que é produzido em termo de emissão de carbono com a sua atividade anual e deduzir disso o estoque que da sua propriedade rural — explica.
 
Zanetti afirma ainda que o produtor precisa estar adequado à legislação. Ele conta que, na prática, o Instituto Ação Verde tem feito parcerias com o Ministério Público e organizações ambientais locais no sentido de elaborar projetos de adequação ambiental nas propriedades rurais, sempre buscando o enfoque na avaliação dos ativos ambientais.
 
Existe uma proposta de legislação do Senado Federal que trata desse tema, criando uma política nacional de bens e serviços ambientais e ecossistêmicos, voltada exatamente para que o produtor rural possa avaliar e registrar o ativo ambiental que possui nas propriedades rurais para que isso possa vir a ser comercializado — fala.
 
Para mais informações sobre o evento, basta acessar o link www.diadecampo.com.br/forumsustentabilidade.

 fonte: Portal do Agronegocio