Ex-primeira-dama tem nome cogitado à prefeitura de Cuiabá

A direção estadual do PR promete lançar um candidato a prefeito de Cuiabá no ano que vem. Entre os nomes cotados para o pleito estão o deputado estadual Sérgio Ricardo e a ex-primeira-dama de Mato Grosso, Terezinha Maggi. O anúncio de candidatura foi feito durante encontro do partido realizado em Cuiabá ontem, quando os republicanos …

02/07/2011 10:15



A direção estadual do PR promete lançar um candidato a prefeito de Cuiabá no ano que vem. Entre os nomes cotados para o pleito estão o deputado estadual Sérgio Ricardo e a ex-primeira-dama de Mato Grosso, Terezinha Maggi. O anúncio de candidatura foi feito durante encontro do partido realizado em Cuiabá ontem, quando os republicanos também avisaram que irão cobrar retribuição do apoio junto ao PMDB do governador Silval Barbosa.

O nome de Sérgio foi lançado pelo secretário-geral do diretório estadual, deputado Emanuel Pinheiro. Ele alega que o parlamentar foi o segundo mais votado em Mato Grosso e disparou na votação da Capital. “Ele é um dos nossos melhores quadros”.

Diante do discurso, Sérgio preferiu minimizar a possibilidade de ser novamente candidato a prefeito, mas se colocou à disposição dos correligionários. Citou como virtuais concorrentes os deputados João Malheiros, o vereador Francisco Vuolo, entre outros. Terezinha também foi lembrada pelos republicanos. “O importante é que o partido vai ter um nome na disputa. Essa é a nossa vez, já que abrimos mão de ter candidato a governador”, ponderou Wellington Fagundes, presidente estadual do PR.

Para fortalecer o partido em Cuiabá e na maioria das cidades de Mato Grosso, o PR decidiu que os diretórios municipais serão formados a partir da articulação dos deputados federais e estaduais em cada região do Estado.

Os republicanos querem também discutir com o governador Silval Barbosa maior participação política no governo. O vereador por Várzea Grande Charles Caetano Rosa alegou que várias distorções ainda ocorrem, já que muitos apoiadores estariam de fora da cota de indicação de cargos comissionados. Mauro Savi exigiu respeito e avaliou que, se não participasse coligado da última eleição, o PR teria eleito 8 deputados estaduais e não 6.

 fonte: Só Notícias