Wilson pede para Ságuas desistir e entregar a vaga, revela petista

Durante o mês de maio de 2011, 98.502 propriedades rurais de Mato Grosso estiveram mobilizadas para vacinar um rebanho de 12.458.798 cabeças de animais de zero e 24 meses contra a febre aftosa existentes no Estado. A meta da etapa de maio da campanha contra a febre aftosa de vacinação espontânea atingiu 99,6%, com 12.409.006 …

09/07/2011 17:29



Durante o mês de maio de 2011, 98.502 propriedades rurais de Mato Grosso estiveram mobilizadas para vacinar um rebanho de 12.458.798 cabeças de animais de zero e 24 meses contra a febre aftosa existentes no Estado. A meta da etapa de maio da campanha contra a febre aftosa de vacinação espontânea atingiu 99,6%, com 12.409.006 animais nessa faixa etária. “Mostramos ao mundo que temos controle sanitário do nosso rebanho e esse é um trabalho do pecuarista que esta consciente da necessidade de manter o status sanitário, de estado livre de febre aftosa”, disse o presidente da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), José João Bernardes, durante apresentação dos resultados da campanha, feita pelo Instituto de Defesa Agropecuária (Indea).
Para o presidente do Indea, Valney Corrêa, “o pecuarista, mais uma vez, cumpriu com seu papel imunizando o maior rebanho comercial do Brasil, trazendo segurança sanitária”. A campanha de vacinação contra Febre Aftosa é coordenada pelo órgão, instituição vinculada à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar (Sedraf), e a Superintendência Federal de Agricultura no Estado de Mato Grosso (SFA-MT) do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento e pelo Fundo Emergencial de Saúde Animal (Fesa).
O levantamento apresentado também mostrou que o rebanho na faixa etária de zero a 24 meses aumentos 7,5% em comparação a maio de 2019, o que representa mais de 1 milhão de cabeças. Assim o rebanho de 27,8 milhões de cabeças anunciadas no fim do ano de 2010, chega a quase 29 milhões hoje. “Na etapa da campanha de novembro vamos trabalhar com essa estimativa de vacinação, 29 milhões”, anunciou Correa.
Para vacinar as 12,4 milhões de cabeças o produtor gastou R$ 18,5 milhões pagando em média pela dose da vacina este ano R$ 1,49, segundo levantamento solicitado pela Associação dos Criadores de Mato Grosso – Acrimat – ao Imea – Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária. A vacina teve um aumento no preço de 33%, se comparado com abril de 2010 onde o preço médio da dose era de R$ 1,12. Nos últimos dois anos o reajuste nos preços da vacina contra febre aftosa foi de 21,1%. Pela dose em abril de 2009 o pecuarista pagava R$ 1,23. Em fevereiro desde ano a dose custava R$ 1,25 e em apenas dois meses o acréscimo foi de 2,8%.

Durante o mês de maio de 2011, 98.502 propriedades rurais de Mato Grosso estiveram mobilizadas para vacinar um rebanho de 12.458.798 cabeças de animais de zero e 24 meses contra a febre aftosa existentes no Estado. A meta da etapa de maio da campanha contra a febre aftosa de vacinação espontânea atingiu 99,6%, com 12.409.006 animais nessa faixa etária. “Mostramos ao mundo que temos controle sanitário do nosso rebanho e esse é um trabalho do pecuarista que esta consciente da necessidade de manter o status sanitário, de estado livre de febre aftosa”, disse o presidente da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), José João Bernardes, durante apresentação dos resultados da campanha, feita pelo Instituto de Defesa Agropecuária (Indea).
Para o presidente do Indea, Valney Corrêa, “o pecuarista, mais uma vez, cumpriu com seu papel imunizando o maior rebanho comercial do Brasil, trazendo segurança sanitária”. A campanha de vacinação contra Febre Aftosa é coordenada pelo órgão, instituição vinculada à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar (Sedraf), e a Superintendência Federal de Agricultura no Estado de Mato Grosso (SFA-MT) do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento e pelo Fundo Emergencial de Saúde Animal (Fesa).
O levantamento apresentado também mostrou que o rebanho na faixa etária de zero a 24 meses aumentos 7,5% em comparação a maio de 2019, o que representa mais de 1 milhão de cabeças. Assim o rebanho de 27,8 milhões de cabeças anunciadas no fim do ano de 2010, chega a quase 29 milhões hoje. “Na etapa da campanha de novembro vamos trabalhar com essa estimativa de vacinação, 29 milhões”, anunciou Correa.
Para vacinar as 12,4 milhões de cabeças o produtor gastou R$ 18,5 milhões pagando em média pela dose da vacina este ano R$ 1,49, segundo levantamento solicitado pela Associação dos Criadores de Mato Grosso – Acrimat – ao Imea – Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária. A vacina teve um aumento no preço de 33%, se comparado com abril de 2010 onde o preço médio da dose era de R$ 1,12. Nos últimos dois anos o reajuste nos preços da vacina contra febre aftosa foi de 21,1%. Pela dose em abril de 2009 o pecuarista pagava R$ 1,23. Em fevereiro desde ano a dose custava R$ 1,25 e em apenas dois meses o acréscimo foi de 2,8%.