Atividades humanas ameaçam ecossistemas do mar profundo

As montanhas submarinas, os corais de água fria, os taludes superiores das margens continentais e os cânions submarinos são os ecossistemas mais ameaçados do mar profundo, de acordo com pesquisa publicada na revista PLoS ONE e divulgada nesta terça-feira pelo Conselho Superior de Investigações Científicas da Espanha (CSIC), entidade que participou do estudo. De acordo …

02/08/2011 16:41



As montanhas submarinas, os corais de água fria, os taludes superiores das margens continentais e os cânions submarinos são os ecossistemas mais ameaçados do mar profundo, de acordo com pesquisa publicada na revista PLoS ONE e divulgada nesta terça-feira pelo Conselho Superior de Investigações Científicas da Espanha (CSIC), entidade que participou do estudo.

De acordo com os cientistas, a atividade pesqueira, as mudanças climáticas, a contaminação química e industrial e a acumulação de lixo – especialmente resíduos de plástico – são os maiores problemas enfrentados hoje em dia. O estudo ainda aponta a exploração mineira submarina como uma atividade que depredará os oceanos no médio prazo, já que há grande interesse econômico em explorar os depósitos de cobre, níquel e cobalto no mar profundo.

O projeto Census of Marine Life (censo da vida marinha, em tradução livre) analisou os impactos causados pelo homem mais marcantes no oceano profundo tanto ocorridos no passado, como atualmente e nos prognósticos para o futuro, identificando as áreas mais ameaçadas e os piores riscos à vida marinha. O mar profundo são as áreas marítimas com profundidade maior a 3 km, o que configura 73% da superfície dos oceanos no mundo.

fonte: Terra