Aplicativos para o iPhone ajudam a acompanhar o trânsito, fazer dieta e dormir melhor

Há poucos anos, o consumidor que tinha acabado de comprar um smartphone usava o aparelho basicamente para conversar, trocar mensagens e navegar na internet. Em 2008, um ano depois do lançamento da primeira versão do iPhone, a Apple inaugurou a loja de aplicativos App Store. A partir daí, os “apps” ou programinhas passaram a chamar …

12/08/2011 09:11



Há poucos anos, o consumidor que tinha acabado de comprar um smartphone usava o aparelho basicamente para conversar, trocar mensagens e navegar na internet.
Em 2008, um ano depois do lançamento da primeira versão do iPhone, a Apple inaugurou a loja de aplicativos App Store. A partir daí, os “apps” ou programinhas passaram a chamar a atenção das pessoas por serem geralmente leves e que funcionam como recursos complementares ou simplesmente opções de entretenimento.
Além da Apple, Microsoft, BlackBerry e Google são algumas das marcas que oferecem lojas virtuais para que seus clientes possam comprar ou fazer o download gratuitamente de aplicativos para o celular.
Embora a loja Google Android Market tenha recentemente ultrapassado sua maior concorrente, a App Store, em quantidade de aplicativos grátis, a Apple ainda lidera esse mercado em quantidade geral.
Dados anunciados pela Apple em julho deste ano mostram que a App Store tem 425 mil aplicativos, sendo 100 mil para o iPad e o restante para o iPhone e iPod Touch, sendo a maioria dos programinhas gratuitos. A Android Market tem um total de aproximadamente 250 mil aplicativos.
Desde a criação da App Store, foram feitos 15 bilhões de downloads.
O cadastro é simples e pode ser feito diretamente do iPhone, sem a necessidade de cartão de crédito. O usuário vai até a App Store, seleciona um aplicativo grátis para download e cria uma conta de acesso.
O sistema vai mostrar uma lista de países. Basta escolher Brasil, informar um e-mail, data de nascimento, cadastrar uma pergunta de segurança e criar uma senha . Depois, aparecerá uma lista com marcas de cartões de crédito. Ao selecionar a última opção, “none” (nenhum), o dono do iPhone continua fazendo seu cadastro sem precisar informar seus dados de cartão de crédito.
Por último, devem ser informados seu endereço e telefone. A Apple envia para o e-mail cadastrado um link confirmando a conta.
Esse processo todo só acontece uma vez. Os próximos aplicativos são baixados com apenas um clique e digitação da senha.
Aplicativos do iPhone são agrupados em 19 categorias
Os programinhas para iPhone são divididos em 19 categorias, como entretenimento, finanças, música, notícias, fotografia, redes sociais, viagem, esportes, entre outros.
Joguinhos e redes sociais costumam ocupar o topo dos mais baixados, mas além do entretenimento, é possível encontrar variadas opções que funcionam como serviços que podem ajudar muito as tarefas do dia a dia.
Há aplicativos que ajudam a acompanhar a situação do trânsito, preparar o almoço, descobrir o nome e intérprete de uma música que toca no rádio, organizar um churrasco, fazer uma dieta e até dormir melhor.
Tente fazer o download de aplicativos em um lugar que tenha uma rede aberta conexão à internet sem fio (Wi-Fi). Dessa forma, você não precisa usar sua franquia de 3G, que é bem mais lenta que o Wi-Fi.

fonte: R7