PR reage contra governo por priorizar só Copa

16/08/2011 10:45



O deputado federal Wellington Fagundes, presidente estadual do PR, criticou ontem o governo de Mato Grosso por estar muito concentrado na discussão “VLT ou BRT” e deixando de lado políticas sociais e o interior. “A Copa do Mundo tem que ser para o Estado como um todo, não podemos começar a criar sentimento de que o interior está abandonado, pensar Copa é pensar no povo e não só nos jogos”, disse Wellington.

Para o deputado, o governo está priorizando o debate sobre o modal de transporte VLT e BRT, porém, antes deveria discutir mobilidade urbana como um todo. O novo sistema de transporte a ser adotado, independente de qual seja, como aponta o deputado, só irá atender a região troncal de Cuiabá e Várzea Grande.

O republicano considera que obras de desbloqueios deveriam ser feitas com urgência para melhorar o trânsito. “Uma pequena obra pode resolver mais do que obras faraônicas. O estádio e o aeroporto são os principais, o resto é acessório. Temos que resolver o dia-a-dia da população, melhorar a saúde, a segurança, discutir o voluntarismo”, disse o deputado.

As falas de Wellington acendem o sinal amarelo para o governador Silval Barbosa (PMDB) na relação política com os partidos da base aliada, já que o PR é o principal partido da base de sustentação de Silval junto com o PP do deputado estadual José Riva.

Observando o trânsito da grande Cuiabá, o deputado conta que percebeu a população tomando caminhos alternativos, mas que esses chegam a um ponto de estrangulamento. “Uma pequena intervenção nesses pontos poderia melhorar, estamos falando de uma desapropriação, abrir uma rua, coisas pequenas. Se tivesse apenas um dinheiro e eu fosse governador ia investir naquilo que vai melhorar a qualidade de vida das pessoas até 2014. Não pode ficar preocupado apenas com 2014 e com quem vem de fora, Copa do mundo tem que ser para todos.”, explicou o deputado.

Ele ainda alerta que essa priorização da discussão de políticas na grande Cuiabá pode causar o sentimento de abandono do interior. Para o deputado, embora Cuiabá tenha o maior número de habitantes, mobilidade urbana não se restringe a capital. O republicano cita o exemplo de Barra do Garças e região, que precisa de um novo anel viário. “Tudo que entra no Estado por aquela região tem que passar pelo centro de Barra, de Pontal de Araguaia, do Aragaças, cerca de mil carretas por dia. Aquela é uma região com enorme potencial turístico e isso tem que ser resolvido”, disse o deputado.

Outro exemplo citado sobre a priorização da Copa do Mundo pelo governo foi a inauguração da duplicação de trecho da avenida Jurumim, em Cuiabá, em que a placa era da ação era creditada à Agecopa. “A placa só fala da Agecopa, não mostra o governo e não explica ao povo o porquê da obra. Não é por causa da Copa apenas, a obra é para a população, para melhorar o dia-a-dia”, criticou Wellington.

O deputado José Riva também criticou a falta de atuação do governo no interior com relação às estradas. “O período de chuva está chegando e nada foi feito. Se água chega à situação em que está, muitas estradas ficarão intransitáveis e cidades isoladas”, alertou Riva. (ARF)

Fonte: Diário de Cuiabá





Tags: