Gravidez na adolescência

Você já parou para sonhar? Qual é a profissão que pretende seguir? Onde, como, com quem, e fazendo o que você estará daqui há 5 anos, por exemplo? Você toma suas decisões pensando nisto? Ou simplesmente, deixa a vida lhe levar? Você deve estar se perguntando: – O que tem a ver tudo isto com …

19/08/2011 13:38



Você já parou para sonhar? Qual é a profissão que pretende seguir? Onde, como, com quem, e fazendo o que você estará daqui há 5 anos, por exemplo? Você toma suas decisões pensando nisto? Ou simplesmente, deixa a vida lhe levar?
Você deve estar se perguntando: – O que tem a ver tudo isto com prevenção de gravidez na adolescência? É que talvez você não saiba, mas a cada 100 bebês que nascem no Brasil 36 são filhos de mães entre 10 – 19 anos. Em São Paulo, este número é menor – 17%, mas para você ter uma idéia do que isto significa, no ano de 2004 nasceram 106.737 bebês filhos de mãe adolescente. Muito, não? Mas, tem mais. Uma outra pesquisa, do Programa do Adolescente, identificou que 90% dos jovens paulistanos têm informações sobre como evitar a gravidez. Isto significa que apenas a informação não basta! O que falta, então?
Se você pensou em motivação, acertou. Só um jovem que consegue perceber o que pode ganhar, em não ter um filho na adolescência, é que terá interesse em saber como se prevenir e usar em seu benefício esta aprendizagem. Por isso, acreditamos que identificar o seu sonho, o seu projeto de vida, é o que fará toda a diferença na hora de fazer sexo!
Impacto da gravidez
Houve uma época, em que a garota ficava grávida entre os 12 e 14 anos, e isto era perfeitamente admissível. Mas, isto foi há muito tempo, quando a mulher era educada para ser apenas mãe e esposa. Esse era o seu projeto de vida! Hoje, as meninas, como os meninos, podem vir a ser o que quiserem, principalmente você, aluno(a) do Colégio Bandeirantes – engenheiro, médico, agrônomo, jornalista…  Por isso ter um filho nesta altura dos estudos, no mínimo pode atrapalhar a sua preparação para enfrentar a concorrência no vestibular; sem falar no isolamento social que a chegada de um filho pode fazer acontecer. Pois, baladas, viagem com amigos, passeios no shopping, cinema nos fins-de-semana não combinam com bebê e nem com as responsabilidades econômicas, sociais e educacionais que o casal precisa assumir para atender as necessidades de atenção e cuidado da criança.
O desejo de viver a experiência de um relacionamento sexual pode levar o adolescente à não medir as conseqüências e a colocar a prevenção de uma gravidez em segundo plano. Quando isto acontece, por um mecanismo de defesa ou por pouco entendimento da vida, próprio da adolescência, o jovem assume um gesto heróico, do tipo – a vida é minha e eu dou conta de ter um bebê – acreditando que o impacto da gravidez só atinge aos pais da criança. É aí que acontece um grande engano! Quando um casal adolescente fica grávido, toda a comunidade a que pertence é afetada por este fato: os amigos, os pais, os professores e a própria escola, como um todo, que precisa alterar sua rotina para atender as necessidades da aluna gestante.
Fatores protetores
A adolescência apronta armadilhas difíceis de serem vencidas pelos jovens, principalmente, quando o que está em jogo é o prazer sexual. Mas, mesmo assim, é possível se proteger  de uma  gravidez na adolescência. Para isto segue abaixo algumas dicas:
Informação
É fundamental saber sobre o corpo, a maneira como acontece a fecundação e as formas de evitá-la. Para isto você conta com o trabalho de CPG e o do Sex Tips, que além de responder as suas perguntas, ainda disponibiliza textos e FAQs com estes temas para você.
Auto-estima e auto-imagem
Sei que com toda a pressão da mídia, muitas vezes pode parecer difícil, mas, gostar de si mesmo, do jeito que é, admirar-se e perceber-se como uma pessoa importante, é fundamental. Faça coisas que o deixe contente consigo mesmo. Desenvolva suas habilidades, pratique atividades esportivas e/ou artísticas, e principalmente de solidariedade humana.
Educação e orientação sexual
É necessário conversar com pais, professores, e/ou escrever para o Sextips sempre que tiver qualquer dúvida. A sexualidade promove uma intensa possibilidade de sentir prazer, mas também exige responsabilidades. O adolescente deve refletir a respeito, conhecer suas possibilidades e limites.
Método anticoncepcional
É preciso saber: o anticoncepcional mais indicado na adolescência é a “CAMISINHA”, que, além de prevenir a gravidez, protege contra a Aids e outras doenças sexualmente transmissíveis. Não aposte na sorte. A prevenção é uma manifestação de amor. Saiba negociá-la nas suas relações.
Sonho e projeto de vida
Pare e experimente fazer um exercício para identificar seu sonho, a realidade que quer construir para você.  Trace um plano de vida e elabore estratégias para alcançá- los. Quem sabe onde quer chegar, planeja suas ações e mede as conseqüências de uma gravidez não planejada.
A maternidade passou, então, a ser considerada uma das mais sublimes realizações da mulher. Entretanto, não se pode deixar de alertar que ela é também um instrumento de pressão e anulação. Principalmente quando acontece na vida de uma adolescente sem recursos financeiros e estabilidade emocional, deixando-a vulnerável à autoridade dos que assumem junto com ela a gravidez. Suas conquistas e sonhos vão depender da compreensão dos adultos (familiares) que a cercam e que passam a controlar a sua vida como nunca fizeram antes.
Carla pôde contar com a compreensão dos pais e não esqueceu o sonho de ser uma mulher independente. Hoje, ela namora o Renato, voltou a estudar e cursa o primeiro ano de Administração numa faculdade de Alagoas. Viu que não precisava abandonar todos os seus projetos pelo fato de ser mãe. Ser uma diplomata?! Talvez ela o seja um dia, se puder entender essa maternidade na adolescência como um adiamento do seu projeto de vida.
Mas… Atenção, meninas! Nem todo mundo tem a sorte de ter pais compreensivos, ou em condições emocionais e financeiras para ajudar a criar um filho. Os filhos podem e devem vir no momento em que a sua chegada for um motivo para celebrar e crescer com eles. Não se deixem cair numa deslizada como essa. Isso pode tirar de vocês a oportunidade de obter o principal poder do ser humano: o saber.

por: Maria Helena Vilela