Grand Prix: Brasil é superado pelos EUA e sonho do enea é adiado

Ficou pelo caminho o sonho brasileiro de conquistar o seu nono título do Grand Prix de vôlei feminino. Com uma atuação decepcionante, as meninas do Brasil foram derrotadas pelos EUA por 3 sets a 0 (26-24, 25-20, 25-21), na final, em Macau, adiando a conquista do eneacampeonato da competição. Invicta até a decisão, a seleção …

28/08/2011 08:55



Ficou pelo caminho o sonho brasileiro de conquistar o seu nono título do Grand Prix de vôlei feminino. Com uma atuação decepcionante, as meninas do Brasil foram derrotadas pelos EUA por 3 sets a 0 (26-24, 25-20, 25-21), na final, em Macau, adiando a conquista do eneacampeonato da competição. Invicta até a decisão, a seleção do Brasil foi facilmente envolvida pelo time comandado por Logan Tom, Destinee Hooker e Heather Bown, que conquistou o segundo título seguido na competição.
Os EUA começaram melhor e logo abriram 3 a 0. O primeiro ponto brasileiro só foi obtido após um erro de saque de Logan Tom. O Brasil seguiu errando e, ao sofrer 5 a 1, o técnico José Roberto Guimarães pediu o primeiro tempo técnico. A bronca não surtiu muito efeito e as americanas seguiram melhores em quadra, chegando a abrir 9 a 3 e, depois, 11 a 5. Nervosa, Thaísa errava muito, principalmente nas disputas na rede com Hooker.
Depois do 12º ponto das americanas, o Brasil começou sua reação, chegando a reduzir a diferença para dois pontos. Os EUA então voltaram a retomar as ações, abrindo nova vantagem. Depois do 16º ponto das americanas, porém, o Brasil voltou a reagir e, dessa vez, chegou ao empate, em cortada de Sheila, que a defesa adversária não conseguiu devolver: 17 a 17. A virada brasileira veio no rali seguinte com um erro de ataque de Logan Tom.
O jogo seguiu disputado ponto a ponto, até que os EUA conseguiram virar para 20 a 19. Percebendo uma desvantagem na rede, José Roberto Guimarães colocou Fabíola e Tandara no lugar de Dani Lins e Sheila. Logo em sua primeira participação, Tandara conseguiu bloquear ataque americano. A partida seguiu muito equilibrada, chegando aos placares de 22 a 22 e 23 a 23. No rali do 24º ponto, Sheila cortou para fora, dando o set point para os EUA. Na jogada seguinte, Thaísa atacou com eficiência levando o jogo para o desempate. Na melhor de dois, porém, as americanas foram mais eficientes e fecharam o set em 26 a 24, em 31 minutos.
O segundo período seguiu equlibrado, até o Brasil abrir 5 a 3 e, depois, 6 a 4. Os EUA, então, reagiram e conseguiram virar para 7 a 6. O confronto seguiu disputado ponto a ponto, principalmente após o 10º ponto das americanas, quando as equipes protagonizaram o melhor rali da partida, onde Natáilia cravou o 11º ponto brasileiro.
Na segunda metade do set, os EUA voltaram a abrir vantagem, chegando a abrir 19 a 15, para o pedido de tempo de José Roberto Guimarães. O Brasil voltou mais forte depois da parada e logo fez dois pontos, com Thaísa e Natália: 19 a 17. Só que, comandado por Akinradewo, os EUA voltaram a se impor em quadra, chegando a abrir 22 a 18. A vantagem foi a senha para as americanas administrarem o placar até fecharem o período em 25 a 20, com o ponto final anotado por Logan Tom.
Assim como nos sets anteriores, o terceiro período também começou extremamente equilibrado. A primeira diferença de dois pontos só foi obtida quando os EUA fizeram 6 a 4. A pequena vantagem foi a senha para as brasileiras ficarem ainda mais nervosas, permitindo as americanas fazerem 9 a 4, com três pontos de Logan Tom. A partir de então, o Brasil protagonizou uma sequência de erros, com Fernanda Garay e Natália, o que fez os EUA chegarem a 16 a 10.
O Brasil tentou manter-se vivo na partida, reduzindo a diferença para três pontos, e, posteiormente, dois pontos, só que já era tarde. Os EUA fecharam em 25 a 21, vencendo a partida por 3 a 0. Festa americana em Macau.
A seleção começou o embate com Dani Lins, Sheilla, Fabiana, Thaisa, Fernanda Garay e Natália, além da líbero – Fabi. Entraram no decorrer: Fabíola, Tandara e Sassá.

fonte: G1