Higiene bucal e a gestação

Assistindo de perto o sucateamento das clínicas odontológicas de Cuiabá, onde ao invés de prestar atendimento efetivo o cirurgião-dentista permanece na unidade para esclarecer a população o motivo do não atendimento, que geralmente é por falta de materiais de consumo ou algum equipamento quebrado, muitos assuntos intimamente ligados à saúde bucal me preocupam, e um …

28/08/2011 09:37



Assistindo de perto o sucateamento das clínicas odontológicas de Cuiabá, onde ao invés de prestar atendimento efetivo o cirurgião-dentista permanece na unidade para esclarecer a população o motivo do não atendimento, que geralmente é por falta de materiais de consumo ou algum equipamento quebrado, muitos assuntos intimamente ligados à saúde bucal me preocupam, e um deles sem dúvida é a saúde bucal da gestante.
Muitos mitos e tabus estão presentes no momento da gestação, como por exemplo:
• A mulher perde cálcio durante a gestação. Mito! O cálcio necessário para a formação dos dentes do bebê provém da alimentação da gestante, os seus dentes não participam do processo de captação e nem sofrem qualquer dano.
• A gestação traz consigo cárie e perda de dentes. Mito! A cárie e conseqüente perda de dentes é provocada pela alimentação desregulada, rica em carboidratos e falta de higiene bucal. Sendo assim mulheres gestantes ou não gestantes podem ser acometidas de cárie caso não haja uma correta escovação, com uso de fio dental e creme dental com flúor, e visitas regulares ao dentista.
• A gestante não pode fazer raio-X. Verdade! Os exames radiográficos devem ser feitos com uso de avental de proteção em qualquer paciente, porém deve ser evitado no primeiro trimestre de gestação, e apenas em situações de extrema necessidade.
• Ë proibido o uso de anestésico em gestantes. Mito! O uso de anestesia nas gestantes é permitido, desde que a substância anestésica usada não contenha vasoconstritores, e por isso o cirurgião-dentista deve ser informado para que possa tomar esse cuidado.
• A periodontite (processo inflamatório de todos os tecidos localizados ao redor dos dentes e que também são responsáveis pela sua fiação) pode causar parto prematuro. Verdade! Os microorganismos presentes na placa bacteriana percorrem a corrente sanguínea e estimulam a produção da prostaglandina, que é substância hormonal, provocando contrações do útero e acelerando o trabalho de parto.
Por esses motivos recomendamos o pré-natal odontológico com vistas à promoção da saúde bucal da gestante e à prevenção da saúde geral do bebê. A boca é a porta de entrada de muitas doenças, e em hipótese alguma deve ser tratada desassociada da saúde geral, portanto gestores, nós profissionais da saúde pedimos em uníssono: equipem e façam a manutenção das nossas unidades. Sem estrutura, materiais adequados e recursos humanos preparados e motivados não temos como promover saúde.Assistindo de perto o sucateamento das clínicas odontológicas de Cuiabá, onde ao invés de prestar atendimento efetivo o cirurgião-dentista permanece na unidade para esclarecer a população o motivo do não atendimento, que geralmente é por falta de materiais de consumo ou algum equipamento quebrado, muitos assuntos intimamente ligados à saúde bucal me preocupam, e um deles sem dúvida é a saúde bucal da gestante.
Muitos mitos e tabus estão presentes no momento da gestação, como por exemplo:
• A mulher perde cálcio durante a gestação. Mito! O cálcio necessário para a formação dos dentes do bebê provém da alimentação da gestante, os seus dentes não participam do processo de captação e nem sofrem qualquer dano.
• A gestação traz consigo cárie e perda de dentes. Mito! A cárie e conseqüente perda de dentes é provocada pela alimentação desregulada, rica em carboidratos e falta de higiene bucal. Sendo assim mulheres gestantes ou não gestantes podem ser acometidas de cárie caso não haja uma correta escovação, com uso de fio dental e creme dental com flúor, e visitas regulares ao dentista.
• A gestante não pode fazer raio-X. Verdade! Os exames radiográficos devem ser feitos com uso de avental de proteção em qualquer paciente, porém deve ser evitado no primeiro trimestre de gestação, e apenas em situações de extrema necessidade.
• Ë proibido o uso de anestésico em gestantes. Mito! O uso de anestesia nas gestantes é permitido, desde que a substância anestésica usada não contenha vasoconstritores, e por isso o cirurgião-dentista deve ser informado para que possa tomar esse cuidado.
• A periodontite (processo inflamatório de todos os tecidos localizados ao redor dos dentes e que também são responsáveis pela sua fiação) pode causar parto prematuro. Verdade! Os microorganismos presentes na placa bacteriana percorrem a corrente sanguínea e estimulam a produção da prostaglandina, que é substância hormonal, provocando contrações do útero e acelerando o trabalho de parto.
Por esses motivos recomendamos o pré-natal odontológico com vistas à promoção da saúde bucal da gestante e à prevenção da saúde geral do bebê. A boca é a porta de entrada de muitas doenças, e em hipótese alguma deve ser tratada desassociada da saúde geral, portanto gestores, nós profissionais da saúde pedimos em uníssono: equipem e façam a manutenção das nossas unidades. Sem estrutura, materiais adequados e recursos humanos preparados e motivados não temos como promover saúde.
Por: Jaqueline Pontes