Tecnologia auxilia na escolha dos melhores embriões a serem implantados

Gestações múltiplas, onde uma mulher fica grávida, após a implantação de dois ou mais embriões, têm um elevado risco para mães e bebês. As complicações podem abranger abortos recorrentes, partos prematuros, baixo peso ao nascer, paralisia cerebral e até mesmo a morte do bebê. “Devido a estas razões, todos os profissionais que atuam no campo da …

01/09/2011 13:39



Gestações múltiplas, onde uma mulher fica grávida, após a implantação de dois ou mais embriões, têm um elevado risco para mães e bebês. As complicações podem abranger abortos recorrentes, partos prematuros, baixo peso ao nascer, paralisia cerebral e até mesmo a morte do bebê. “Devido a estas razões, todos os profissionais que atuam no campo da medicina reprodutiva estão sempre empenhados em tentar encontrar formas de evitar as gestações múltiplas, sem comprometer as chances da mulher engravidar”, afirma o ginecologista Prof° Dr° Joji Ueno, diretor da Clínica GERA.

Neste sentido,  o médico destaca um trabalho sueco muito interessante, apresentado durante a última reunião anual da Sociedade Européia de Reprodução Humana e Embriologia, onde pesquisadores suecos, pela primeira vez, desenvolveram uma maneira confiável de decidir se um ou dois embriões devem ser transferidos durante o tratamento de infertilidade. O método sueco simultaneamente mantém uma grande chance das mulheres darem à luz a um bebê vivo, enquanto reduz o risco de gêmeos.

“A Suécia é um dos países mais empenhados em reduzir as gestações múltiplas por meio da transferência de apenas um embrião, durante o tratamento de infertilidade. Enquanto o modelo dos pesquisadores suecos vem sendo replicado em outras clínicas do País, para que seja possível uma avaliação mais acurada do método proposto, no Brasil, sentimos falta de estratégias baseadas em evidências para orientação sobre quando realizar a transferência de um único embrião. Estamos em busca do equilíbrio entre manter um elevado nível das taxas de nascimento com vida, reduzindo as taxas de gravidezes múltiplas”, explica o médico, que também dirige o Instituto de Ensino e Pesquisa em Medicina Reprodutiva de São Paulo.

Nova tecnologia monitora o embrião minuto a minuto…

De acordo com o Prof° Dr° Joji Ueno, embora o nascimento de um filho por técnicas de reprodução assistida ainda leve consigo o risco de uma gestação múltipla, cabe à Medicina aprimorar os métodos de cultivo de embriões e a sua transferência para o útero, o que permitirá otimizar as chances de gestação, sem que ocorra a gestação múltipla.

“Estamos desenvolvendo muitas pesquisas sobre as condições ideais de transferência, a sobrevivência intraútero e a implantação do embrião. Com este fim, a utilização do PRIMO Vision nos laboratórios de reprodução humana é de grande valia. O aparelho é uma câmera, que após ser acoplada à uma incubadora, no laboratório, fornece informações precisas sobre o desenvolvimento dos embriões. Novas imagens dos embriões são capturadas minuto a minuto, o que permite a detecção precisa de clivagens, fragmentações, multinucleação e muitos outros eventos importantes na cultura de embriões in vitro”, explica Joji Ueno,Doutor em Ginecologia pela Faculdade de Medicina da USP.

Com o auxílio da câmera, os embriões são controlados individualmente em sua cultura de grupo. “Após a análise das imagens, médico e embriologista podem tomar a melhor decisão sobre a seleção dos embriões que serão implantados, visando assegurar uma maior taxa de gravidez e parto e uma menor incidência de gravidez múltipla”, explica  Joji Ueno.

O PRIMO Vision permite que os profissionais observem os embriões, sem perturbar ou interferir nas condições de incubação. “Sabemos que mudanças de temperatura, pH, umidade, exposição à luz descontrolada, correntes elétricas ou movimentos bruscos podem ser prejudiciais para o desenvolvimento do embrião. Com o emprego da câmera acoplada à incubadora, os embriões permanecem imóveis e não são afetados”, explica o ginecologista.

Joji Ueno destaca que a nova tecnologia é especialmente importante para mulheres que não conseguem engravidar e já sofreram múltiplas falhas de implantação de embriões. “O PRIMO Vision ainda não tem uma aplicação rotineira em todos os tratamentos de reprodução assistida, mas o seu emprego é especialmente indicado para mulheres com múltiplas falhas de implantação, pois estas se beneficiarão muito com uma melhor seleção do embrião a ser transferido. Após o monitoramento contínuo realizado pelo embriologista, por meio das câmeras, o melhor embrião, do ponto de vista morfológico, poderá ser selecionado e implantando, aumentando as chances da gravidez”, diz o médico.

Fonte:Clinicagera