Tempo e oportunidades para brasileiros

21/09/2011 10:18



Egito, Assíria, Babillônia, Medos e Persas, Grécia e Roma, Quem são eles hoje? São nações que possuem uma rica história, mas do passado. Simplesmente hoje lido e admirado pelo poderes que há muito  tempo tiveram em suas mãos acompanhados pelas riquezas e suas conquistas. Egito e seus luxos com poderes, grandes obras e ciência até hoje sendo mistério para muitos, mas a atualidade mostra um pais pobre que vive na dependência do turismo pelos feitos de seus antepassados. Assíria e Babilônia não se acham mais no mapa, hoje terretório do Iraque, deixado para trás e lembrado apenas como uma das sete maravilhas do mundo antigo onde seus reis eram adorados como deuses. Medos e Persas só  nos traz hoje ao Irã, sua riqueza mineral mas com bloqueios do mundo todo pela politíca de armamento e conceito fanático de poder pela fé. E Grécia, ainda existente e digamos resistente a uma econômia em falência que nem seus tantos deuses do passado lhe visitam no presente. Roma, a poderosa, obteve poder civil e religioso governando seus territórios e o mundo na base da “mão de ferro”

Todas estas nações do mundo antigo tiveram seus tempos e suas oportunidades. Oportunidades estas que o Brasil espera num futuro muito próximo. Quem eram os germanos, saxões, ítalos e francos no passado? nada mais do que ignorantes, analfábetos e desprezados que viviam fora do terretório romano e não falavam o latím, a linguá dos nobres e favorecidos. E hoje quem são? Alemães, inglêses, italianos e francês,  toda a região européia considerados paises do primeiro mundo. Considerados intelectuais do mundo, ricos, abastecidos e controladores. E os E.U.A. que a pouco mais de 500 anos atrás eram navegadores fugindo da rigidez imposição religiosa da idade média e tornado a maior potencia atual do mundo moderno.

Brasil, pais jovem que Assistiu por muitos anos vendo seus filhos embaracarem a estas nações a busca de uma vida melhor, mais justa, e maiores oportunidades, hoje também assiste o retorno dos mesmo para fazer desta terra o que buscou lá fora. E os que ficaram começam a deleitar e acreditar que esta oportunidade pode ser vistas ainda em seus tempos.

Quem eramos para o mundo senão somente exportadores de jogadores de futebol, que somente tinhamos de valor o espetáculo dado ao mundo de nosso carnaval, samba e ócio. Mas que hoje somos o cereal para todos, pais das águas e que saimos dos campos de futebol, do desprezo, das choupanas e da boa terra do coco para mostrar que basta termos oportunidades iguais que seremos também cientístas, históriadores e potênciais. Eis que surge dos campos de futebol um povo que hoje ignoras mas que amanhã exploras a riqueza do pré sal. Eis que surge uma voz única cantando com as mãos no peito “salve lindo pendão da esperança, salve símbolo augusto da paz”.

O mundo moderno esqueceu das derrotas do mundo antigo, acreditam que serão eternos, algo que a história contradiz. Uma história que não muda, somente muda a sua forma, a tecnologia de sua época, mas que sempre se repete. Que o Brasil do futuro nunca esqueça com humildade o seu passado, tamando como aprendizado os efeitos e conseguências de outras nações.

Por:Ahmad Nossabein Filho, nascido na Lapa Pr. Residente na cidade de Curitiba. Formação Adm. em Marketing. Casado, 03 filhos, atua profissionalmente gerenciando um grande banco que se encontra em quase todo mundo. Desde menino é um amante da boa literatura, possui histórias, crônicas, poemas e artigos sobre comportamentos e atualidades.





Tags: