Plantio de seringueira cresce 5% ao ano nas áreas de pequenos produtores em MT

13/10/2011 13:59



O Programa de Incentivo ao plantio da Seringueira no Estado de Mato Grosso comprova que na safra 2010/2011 foram plantados 2.210 hectares, em sete Consórcios Intermunicipais nas áreas de agricultores familiares. O engenheiro florestal da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) e membro do programa, Antônio Rocha Vital, fala que a cada ano a heveicultura cresce 5% no Estado. A proposta é implantar 160 mil hectares de seringueira num período de 15 anos. Além da produção de borracha o projeto prevê a recuperação de áreas degradadas e reserva legal com o plantio de seringueira em sistemas agroflorestais.

Segundo Rocha, o Programa tem como meta atender 30 mil agricultores familiares. Com uma produção de 25 mil toneladas de borracha por ano e uma área de 46 mil hectares de seringueira (dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o Mato Grosso está classificado em terceiro lugar no ranking nacional em área plantada. Ele explica que estão colocando módulos familiares de seis hectares, agrupados em assentamentos e cooperativas. A intenção é atingir a produção de 80 mil toneladas de borracha por ano. A expectativa para esta safra (outubro a junho) é que a borracha poderá atingir um preço entre R$ 3,80 a 4,00 o quilo do CVP (Coágulo Virgem Prensado), considerado bom para os produtores.

Quem tem intenção de expandir agora conta com a nova linha de crédito do Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO), com oito anos de carência e sete anos para pagamento e juros de 5% ao ano. A seringueira é considerada uma cultura ideal para o pequeno produtor, já que produz durante dez meses. Rocha aconselha consorciar com a pecuária para garantir lucro e renda o ano todo. “A retirada do látex é diária e a do leite também, o produtor está acostumado com essa rotina e não terá problemas para trabalhar com as culturas”, explica.

O plantio poderá ser feito também em sistemas agroflorestais e cultivado com as culturas de abacaxi, milho, cupuaçu, pupunha, café, amendoim, maracujá e banana. Conforme Vital, devido ao trabalho de validação de tecnologia realizado pela Empaer foi recomendado para a Baixada Cuiabana os clones orientais RRIM 600, considerados mais produtivos. Para outras regiões, como é o caso do município de Santa Cruz do Xingu é indicado os clones IAN 2909, IAN 2903 e FX 3864. Clones esses mais resistentes devido às condições favoráveis para a proliferação da doença.

O Programa de Incentivo da Seringueira conta com o trabalho do superintendente de Articulação Institucional da Secretaria de Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar (Sedraf), Israel Antunes Marques, Consórcios Intermunicipais, Empaer e empresas de comercialização do CVP. Na região dos consórcios no Vale do Guaporé foram plantados 150 hectares, Complexo Nascente do Pantanal 610 hectares, Médio Araguaia – 760 hectares, Norte Araguaia – 230 hectares, Vale do Arinos – 210 hectares, Vale do Teles Pires – 200 hectares e Vale do Rio Cuiabá – 50 hectares. Para participar do Programa de Incentivo da Seringueira o produtor poderá entrar em contato com a Sedraf ou Consórcios Intermunicipais – mais informações – (65) 3613 1731 – Empaer.

Fonte:Secom/MT





Tags: