Lucratividade aliada à sustentabilidade

No contexto atual, a ideia de sustentabilidade une-se ao conceito lucratividade. Isso porque, ao administrar bem os recursos naturais, o produtor viabiliza economicamente sua produção, seja em médio ou longo prazo. Segundo Robson Laprovitera, gerente de planejamento florestal da International Paper, hoje, é praticamente impossível pensar em lucratividade sem necessariamente vinculá-la a princípios de conservação …

16/10/2011 09:47



No contexto atual, a ideia de sustentabilidade une-se ao conceito lucratividade. Isso porque, ao administrar bem os recursos naturais, o produtor viabiliza economicamente sua produção, seja em médio ou longo prazo. Segundo Robson Laprovitera, gerente de planejamento florestal da International Paper, hoje, é praticamente impossível pensar em lucratividade sem necessariamente vinculá-la a princípios de conservação da natureza e respeito a aspectos sociais. As palavras do gerente refletem a preocupação de uma das maiores principais empresas do planeta na produção de papel e celulose. Uma realidade cada vez mais presente em um novo modelo econômico, pautado na Economia Verde. A sustentabilidade do próprio agronegócio passa por aí.

Laprovitera é um dos palestrantes do Fórum Produção, Conservação e Lucratividade – A Economia Verde como via de equilíbrio, que o Portal Dia de Campo promove no dia 26 de outubro, no IAC, em Campinas (SP). Entre os assuntos abordados por ele, estão a “Implementação do sistema florestal na realidade da fazenda”, a “Manutenção e gerenciamento” e o “Retorno econômico, produtivo e ambiental do sistema”.

O gerente explica ainda que, de um modo geral, o produtor rural, obtém sua renda administrando os recursos naturais, como o solo e a água, em sua propriedade e se ele não cuidar bem desses recursos, automaticamente estará inviabilizando a sustentabilidade da produção no médio e longo prazo.

Hoje em dia, com a tecnologia e conhecimentos técnico-científicos que temos na produção rural, não é viável um produtor iniciar um processo produtivo florestal, por exemplo, sem pensar no manejo adequado do solo, na preservação dos recursos hídricos, no manejo correto dos resíduos e no lançamento de efluentes. De fato, ele estará inviabilizando economicamente o seu negócio — ressalta.

Um dos destaques da palestra será mesmo a questão da implementação de um sistema produtivo florestal em uma fazenda. Para isso, o primeiro passo é o planejamento. Ele afirma que o produtor precisa determinar qual a área disponível para a atividade dentro da propriedade e, em seguida, identificar quais serão as áreas para o plantio e quais as áreas necessárias à conservação da natureza, em especial as áreas de preservação permanente, ou seja, as beiras de rios e nascentes e as áreas de reserva legal. Feito isso, e definida a área de efetivo plantio, ele fará então uma avaliação da capacidade produtiva daquele solo, através de uma análise.

É preciso entender o aspecto nutricional do cultivo da floresta que está colocando ali e refletir também nas possibilidades que o manejo pode ter sobre os impactos na perda de solo. Por exemplo, ele pode planejar estruturas de modo a evitar a erosão, fazer uma boa fertilização das plantas, adquirir mudas sabidamente adaptadas às peculiaridades de clima e solo de sua região — orienta Laprovitera.

Para ele, esses cuidados associados ao controle das pragas florestais e das ervas daninhas, podem desembocar em uma boa produtividade e um bom retorno econômico ao negócio, contemplando ao mesmo tempo produção e conservação ambiental.

Fonte:Portaldoagronegocio