O que fazer para ter um “Próspero Ano Novo”

27/10/2011 09:52



Já reparou que o ano “acaba” cada vez mais cedo? Outubro mal chegou e já temos panetone nos supermercados, veículos versão 2012 nas concessionárias, decoração natalina à venda e por aí vai. Ou seja, o 13º salário nem entrou na conta dos brasileiros e o comércio já está “seduzindo” o consumidor para que ele gaste antes mesmo de receber.

É importante lembrar que, depois de toda festa regada a muita bebida, vem uma forte ressaca. Estamos falando de janeiro, o mês dos “Is”. IPVA, IPTU, “Ihhhhh, faltou dinheiro para a matrícula dos filhos” e por aí vai. Lembrando que a previsão é de aumento da inflação, o que inclui o IGP-M, utilizado para calcular o reajuste de contratos de aluguel de imóveis.

Em geral, quem consegue enfrentar o mês de janeiro sem entrar no vermelho tem grandes chances de manter as contas em dia no decorrer do ano. Mas, para isso, é preciso se planejar. Veja algumas dicas:

1) Conheça a si mesmo antes de começar o ano novo: saiba quanto gastou por mês com água, luz, combustível, supermercado, compras, lazer e prestações em 2010. Coloque essas despesas em uma planilha e veja o que pode ser reduzido. Despesas relacionadas ao consumo (despesas variáveis) são mais fáceis de abater. O seu extrato bancário dos últimos 12 meses pode dizer maravilhas (ou não) ao seu respeito. Faça um mapa de todos os financiamentos e prestações adquiridas em 2010 e veja o quanto precisa de sua renda para tratar desses assuntos.

2) Só pense em adquirir um novo bem se tiver condições financeiras.

3) Aprenda como funcionam os juros compostos nas compras a prazo. Não se iluda com a avaliação de que a parcela cabe no seu bolso. Antes de fechar uma compra, calcule como e quanto irá pagar pelo produto.

4) Dedique parte de seu tempo para pensar em sua carreira profissional. Será que na mesma empresa onde trabalha não existe uma oportunidade melhor? E nas outras empresas? Não vale a pena disparar alguns currículos, com a tranquilidade de estar empregado?

5) Não é só de empréstimos e financiamentos que vive o mundo. Se já tem um carro e pode esperar um pouco, um consórcio pode ser uma boa pedida para comprar um novo. Fuja do imediatismo.

6) Converse com sua esposa e filhos sobre planejamento doméstico. Um time que joga unido tem mais chances de ser campeão do que um time que tem um artilheiro que não passa a bola pra ninguém.

7) Quem deve cuidar da sua saúde financeira é você. Conheça os planos que seu banco oferece e as taxas que ele cobra. Por mais experiente que o seu gerente seja, quem sabe onde aperta o calo é você.

8) Seja realista: não adianta querer ter uma casa na praia ou fazer a viagem dos sonhos devendo no cartão de crédito e no cheque especial. Concentre-se em quitar seus compromissos e pense duas vezes antes de contrair uma nova dívida.

9) Cheque especial não é complemento do salário. O cheque especial só deve ser usado em situações reais de emergência.

Lembre-se: o importante é viver em paz com nosso dinheiro, que deve ser a base para a prosperidade, para o futuro. E não existem grandes fortunas sem pequenos investimentos. Quem gasta mais do que ganha, não está apenas contraindo dívidas. Está deixando de plantar as sementes de seu futuro.

Por:Antonio De Julio, instrutor da MoneyFit





Tags: