Riva rejeita denúncia e diz que VLT é viável em Cuiabá

Defensor do sistema do VLT (Veículo Leve Sobre Trilho) em Cuiabá e Várzea Grande, o presidente da Assembleia Legislativa, José Riva (PSD), minimizou as denúncias de que houve fraude de documentação, no Ministério das Cidades, para alterar a matriz de responsabilidade do BRT para VLT para Cuiabá. A denúncia é do jornal O Estado de …

27/11/2011 12:06



Defensor do sistema do VLT (Veículo Leve Sobre Trilho) em Cuiabá e Várzea Grande, o presidente da Assembleia Legislativa, José Riva (PSD), minimizou as denúncias de que houve fraude de documentação, no Ministério das Cidades, para alterar a matriz de responsabilidade do BRT para VLT para Cuiabá. A denúncia é do jornal O Estado de S. Paulo.

“O governador Silval Barbosa pediu a alteração da matriz de responsabilidade à presidente Dilma Rousseff e ao ministro das Cidades, e também se empenhou junto ao vice-presidente da República, Michel Temer. Não há equívocos, mas esforço político para empreender um projeto que vai beneficiar Cuiabá e Várzea Grande”, declarou.

Riva sustentou ainda que o projeto do VLT foi discutido com diversos segmentos sociais em audiências públicas, em Cuiabá.

“Se tem algum processo que não foi discutido é o sistema de transporte do BRT. Discutimos a possibilidade de implantação do VLT, nos últimos três anos, com total transparência”, disse Riva.

Em relação ao gasto do VLT, considerado excessivo pelo valor inicial de R$ 1,1 bilhão, Riva afirmou que há desencontro de informações.

“Fala-se que o BRT iria custar R$ 400 milhões, mas não havia previsão de gastos de infraestrutura. O VLT pode até custar R$ 1,1 bilhão, mas vai ter durabilidade e vai proporcionar um serviço eficiente, com infraestrutura de qualidade”, afirmou o presidente da Assembleia Legislativa.

Fonte: Midinews