Henderson toma cinturão de Edgar na volta do UFC ao Japão

Após 12 anos, o UFC (Ultimate Fighting Championship) voltou ao Japão em grande estilo. A multidão japonesa que compareceu à Saitama Arena, palco de muitas edições do finado Pride, viu a categoria dos leves ganhar um novo campeão. Ben Henderson fez história no UFC 144, realizado na noite deste sábado (25), vencendo Frankie Edgar e …

26/02/2012 09:48



Após 12 anos, o UFC (Ultimate Fighting Championship) voltou ao Japão em grande estilo. A multidão japonesa que compareceu à Saitama Arena, palco de muitas edições do finado Pride, viu a categoria dos leves ganhar um novo campeão. Ben Henderson fez história no UFC 144, realizado na noite deste sábado (25), vencendo Frankie Edgar e ficando com o título dos leves.

Apesar do resultado, o início da principal luta da noite parecia totalmente favorável a Edgar, que bloqueou bem os ataques de Henderson e aplicou várias quedas, a maioria delas sem dificuldade. A partir do segundo round, porém, o desafiante passou a castigar o então campeão, principalmente com joelhadas. Em um dos chutes, abriu um corte no nariz de Edgar, que equilibrou as ações no terceiro round, mas voltou a ser castigado nos dois rounds finais.

Como novo campeão dos leves, com 14 vitórias em suas últimas 15 lutas, Henderson destacou as chaves para a sua vitória no Japão.

– Eu quis usar a minha envergadura como uma vantagem. Bater o peso é um saco para mim. Eu tenho que fazer isso por oito difíceis semanas e em dois dias cortar o peso. Pago um grande preço por isso e quero assegurar que meus oponentes sintam a dor quando nós temos os nossos 25 minutos dentro do octógono.

A segunda luta mais esperada da noite gerou decepção para alguns fãs saudosistas do Pride, evento comprado e “enterrado” pela direção do UFC. O ex-campeão dos meio pesados, Quinton “Rampage” Jackson, entrou com a clássica canção do antigo evento japonês, mas não foi páreo diante de um mais bem preparado Ryan Bader.

Durante os três rounds, Rampage não foi nem sombra do striker que fez duras lutas contra nomes como Wanderlei Silva e Maurício Shogun em solo japonês. O ex-campeão foi amplamente dominado durante os três rounds da luta. Ainda assim, teve uma pequena chance de vencer, quando levou Bader para o chão, mas por pouco não acabou finalizado pelo rival, que venceu por decisão dos juízes.

Feliz com a vitória, Bader ressaltou a importância de vencer alguém como Rampage no Japão.

– Bater o Rampage no Japão é uma experiência fantástica. (…) A ideia não era levar a luta para o chão no começo. Queria acertar os jabs, me mover, usar a distância e não entrar em uma batalha próxima de boxe.

Mesmo com vários atletas no card principal e nas preliminares, os japoneses viram poucas lutas boas de seus compatriotas no octógono. Nomes como Yushin Okami e Yoshihiro Akiyama lutaram no card principal do UFC 144 e decepcionaram.

Vindo de derrota para Anderson Silva, Okami dominou dois dos três rounds da luta contra Tim Boetsch. Tudo se encaminhava para uma vitória do japonês, até que Boetsch conseguiu um bom chute, seguido de uma sequência de socos, para vencer o combate por nocaute.

Já Akiyama teve um páreo duro pela frente: Jake Shields. A luta se resumiu ao americano tentando levar o japonês para o chão, onde se sente mais a vontade. O lutador da casa se defendeu como pode, mas foi pouco efetivo tanto de pé quanto no solo. Ele ainda escapou de uma finalização, porém perdeu por pontos.

Nas preliminares, quem salvou a lavoura para o Japão foi Takanori Gomi, que nocauteou Eiji Mitsuoka no segundo round.

Outros resultados

Ainda pelo card principal, o veterano do Pride Mark Hunt não teve dificuldades para atropelar o francês Cheik Kongo ainda no primeiro round. Um direto e uma sequência de socos foram suficientes para Hunt somar mais uma vitória ao seu longo cartel.

Nocaute bonito mesmo foi o de Anthony Pettis para cima de Joe Lauzon, com 1min20s de luta. O chute alto acertou em cheio o seu alvo, colocando um ponto final ao combate.

Confira os resultados completos do UFC 144:

Card principal:
– Ben Henderson derrotou Frankie Edgar por decisão unânime dos juízes;
– Ryan Bader derrotou Rampage Jackson por decisão unânime dos juízes;
– Mark Hunt derrotou Cheick Kongo por nocaute técnico no primeiro round;
– Jake Shields derrotou Yoshihiro Akiyama por decisão unânime dos juízes;
– Tim Boetsch derrotou Yushin Okami por nocaute técnico no terceiro round;
– Hatsu Hioki derrotou Bart Palaszewski por decisão unânime dos árbitros;
– Anthony Pettis derrotou Joe Lauzon por nocaute técnico no primeiro round;

Card preliminar:
– Takanori Gomi derrotou Eiji Mitsuoka por nocaute técnico no segundo round;
– Vaughan Lee derrotou Kid Yamamoto por finalização (armlock) no primeiro round;
– Riki Fukuda derrotou Steve Cantwell por decisão unânime dos juízes;
– Chris Cariaso derrotou Takeya Mizugaki por decisão unânime dos juízes;
– Issei Tamura derrotou Tiequan Zhang por nocaute técnico no segundo round;

Fonte:R7