FIFA pede desculpa ao Brasil

Garantido que Brasil “é e será sempre a única opção para receber o Campeonato do Mundo de 2014”, o número dois da FIFA referiu que tudo não passou de um mal-entendido originado de uma má tradução daquilo que foram as suas palavras proferidas na semana passada. “Tenho imenso respeito e admiração pelo Brasil e gostaria …

06/03/2012 09:49



Garantido que Brasil “é e será sempre a única opção para receber o Campeonato do Mundo de 2014”, o número dois da FIFA referiu que tudo não passou de um mal-entendido originado de uma má tradução daquilo que foram as suas palavras proferidas na semana passada.

“Tenho imenso respeito e admiração pelo Brasil e gostaria de pedir desculpa a qualquer pessoa que se tenha sentido ofendida com as minhas palavras. Gostaria de reiterar, como o fiz em muitas ocasiões, que o Brasil é e será sempre a única opção para receber o Campeonato do Mundo de 2014”, escreveu Valcke numa carta enviada às autoridades brasileiras.

Segundo a FIFA, a expressão francesa “se donner un coup de pied aux fesses” proferida pelo secretário-geral da federação, não significa um “pontapé no traseiro” mas sim, “ acelerar o ritmo”.

“Infelizmente a expressão foi traduzida para português com palavras muito mais fortes. Estou confiante que não vai existir nenhum problema que não possa ser superado com o esforço da FIFA, dos organizadores locais e das autoridades brasileiras”, sublinhou Valcke.

Apesar do pedido de desculpas do secretário-geral, o ministro do desporto brasileiro, Aldo Rebelo, enviou uma carta à Federação, na qual expressa oficialmente o seu desagrado para com as expressoes proferidos e realça que o governo brasileiro não quer que Jérôme Valcke seja o interlocutor da FIFA para tratar da organização do campeonato do Mundo.

“Recebemos com espanto as inapropriadas declarações do senhor Jérôme Valcke nos últimos dias à imprensa internacional. A forma e o conteúdo das declarações escaparam aos padrões aceitáveis de convivência harmoniosa entre um país soberano como o Brasil e uma organização internacional centenária, como a Fifa”, referiu Aldo Rebelo.

Fonte:CMjornal