Ensaio geral disputado no Cirque du Soleil

30/03/2012 08:57



As irmãs gêmeas Emannuelle e Isabelle de Barros Fuhr estavam em estado de graça. Ao lado da amiguinha Ana Beatriz, as meninas de 10 anos nunca tinham ido a um circo na vida. Pelo menos não a um circo tão grande. Alunas da Escola Cecília Meireles, no bairro da Macaxeira, elas estavam entre o grupo de 1,5 mil alunos de mais de 10 escolas pernambucanas convidados para o ensaio geral do espetáculo Varekai, do Cirque du Soleil. Na tenda armada na Avenida Boa Viagem, no terreno ao lado do Hospital da Aeronáutica (sim, aquele mesmo onde caiu um avião no ano passado), os estudantes assistiram a duas horas de performance, repartidas em dois atos com um intervalo de 30 minutos entre eles.

As crianças e adolescentes – e ainda equipes de imprensa e convidados dos patrocinadores – viram 56 artistas em cena, entre eles o brasileiro Raphael Botelho, carioca de São Gonçalo, que interpreta o Anjo Manco, num número em que utiliza muletas, embora não seja deficiente físico. Sua atuação é bem convincente. Baseado no mito de Ícaro, Varekai mostra uma série de criaturas fantásticas que moram numa floresta dentro de um vulcão. A música ao vivo, a iluminação primorosa, os figurinos ultra coloridos e com formas que tornam os personagens ainda mais oníricos, são alguns dos trunfos do espetáculo. Muitos aplausos também para os politicamente incorretos Steven Bishop e Mercedes Hernandes, ele da Austrália e ela da Argentina.

Tão multiculturais quanto o Cirque, com sede no Canadá, mas 20 trupes espalhadas atualmente pelo planeta, em navios, teatros, cassinos. Os palhaços puxaram como voluntário ao palco o professor Sílvio, que ensina informática na escola Fundação Bradesco, de Jaboatão. Eles imitavam um casal de mágicos e Silvio teve até que colocar um vestido e uma peruca loira, ao fim do número.

Um dos quadros mais aplaudidos é o dos Jogos de Ícaro, com os gêmeos Ramos e Pedro Santos, os Rampin Brothers, da Espanha. Eles aparecem no segundo ato e fazem acrobacias de alto grau de dificuldade no trapézio, vestindo uma fantasia preta bem colada aos corpos torneados. Um deles fica preso segurando apenas uma das mãos do irmão, num momento de tirar o fôlego.

Varekai fica em cartaz até 22 de abril. Os ingressos custam entre R$ 140 a R$ 395. Para as sessões de terça a quinta e domingo (20h), as entradas custam R$ 370 (setor premium), R$ 340 (setor 1), R$ 250 (setor 2) e R$ 140 (setor 3). As apresentações de sexta, sábado e domingo (16h) custam R$ 395 (setor premium), R$ 360 (setor 1), R$ 260 (setor 2), R$ 150 (setor 3). O público tem ainda a opção de pagar R$ 190 adicionais para ter acesso ao tapete vermelho (tapis rouge), uma hora antes do espetáculo, com direito a comidas, bebidas, brindes, banheiros especiais e estacionamento exclusivo. O circo está armado na Avenida Boa Viagem. As entradas estão à venda no site Tickets for Fun. O estacionamento custa R$ 20.

Fonte:Diariodepernambuco





Tags: