Vasco vence o Alianza Lima por 2 x 1

04/04/2012 09:49



Numa noite inspiradíssima de Fellipe Bastos, que acertou dois belos petardos de fora da área, o Vasco derrotou novamente no sufoco o Alianza-PER, por 2 a 1, nesta terça-feira, no estádio Alejandro Villanueva, em Lima, e ficou bem próximo da classificação para as oitavas de final da Taça Libertadores. A equipe carioca, que dificultou um jogo que era tranquilo, pode até chegar à última rodada já garantido na próxima fase, se o Libertad-PAR vencer o Nacional-URU nesta quinta-feira, em Assunção.

O Vasco, que em São Januário também teve muitos problemas para vencer os peruanos, por 3 a 2, agora é o líder da chave com dez pontos, três a mais que a equipe paraguaia. O Alianza tem somente três pontos, está em último e não tem mais qualquer chance de classificação. Na última rodada da chave, o time cruz-maltino enfrentará o Nacional-URU, em Montevidéu, no dia 12, e a equipe peruana fecha sua participação no mesmo dia, novamente em casa, contra o Libertad-PAR.

O jogo começou morno, mas quem logo ocupou o setor ofensivo foi o Vasco. No entanto, a primeira boa chance de gol pertenceu ao time da casa. González arriscou de muito longe e a bola passou perto do ângulo esquerdo de Fernando Prass, aos 6. Um minuto depois, também de fora da área, Bazán ameaçou. Como chutar de longe parecia ser bom negócio, afinal o campo duro dificultava a troca de passes, Alecsandro imitou os adversários e obrigou Libman a fazer difícil defesa, aos 8.

Depois desses lances a partida ficou mais equilibrada, mas com as defesas levando vantagemsobre os ataques. O meio de campo vascaíno errava muitos passes e o ataque não penetrava na área adversária em boas condições. Então, a solução era o arremate de longa distância. E foi assim que o time brasileiro abriu o marcador, aos 17:  Fellipe Bastos fez boa jogada pela meia-esquerda e disparou uma bomba, a bola resvalou em Carmona e encobriu Libman, caindo no seu ângulo esquerdo.

O gol abalou o Alianza, que em grave crise financeira teve de acender os refletores do estádio com geradores externos para que a partida fosse realizada. Sem receber salários há sete meses, tranquilos os jogadores do time peruano não poderiam estar. E dois deles discutiram tão asperamente que Diego Souza foi apaziguar os ânimos dos brigões. Já o Vasco se segurou um pouco e cedeu espaços para o adversário, que chegou com perigo aos 36, com Hurtado, quase completando com sucesso cruzamento de Rabanal da esquerda. E foi só na primeira etapa.

Fellipe Bastos faz o segundo, mas defesa erra e Vasco passa sufoco

O Alianza voltou no ataque e, com menos de um minuto, Hurtado ganhou de Thiago Feltri, penetrou na área e caiu, mas o árbitro argentino Saúl Lavemi mandou o jogo seguir. No entanto, o time brasileiro parece ter entendido que não podia ficar na defesa segurando o resultado e partiu em busca o segundo gol. Só que as dificuldades da primeira etapa permaneciam e os cruz-maltinos pouco ameaçavam, mas também quase não sofriam na defesa.

Aos 19 e aos 20, o Vasco teve duas ótimas chances com Diego Souza, porém as desperdiçou. Na primeira, ele cabeceou bem, e Libman fez boa defesa, e na segunda, Eder Luis fez grande jogada e serviu o camisa 10, livre na área, mas ele quis fazer gol bonito e fez feio, jogou a bola nos pés de um zagueiro do Alianza com o gol à sua feição. A blitz vascaína não parou, e, aos 21, Dedé cabeceou a bola na trave esquerda do goleiro do time peruano.
Dois minutos depois, um funcionário do Alianza foi expulso pelo árbitro por ter arremessado uma segunda bola no campo. Mas a pressão de fora para dentro do campo também vinha da torcida peruana, que jogou objetos no gramado até a saída dos jogadores adversários após o fim da partida. O castigo veio a reboque: aos 25, Fellipe Bastos em outro tiro sensacional, ainda mais bonito que o primeiro, fez o segundo gol dele e do Vasco.

O jogo parecia decidido, quando a defesa vascaína resolveu colaborar com o time da casa. Um minuto após Fernando Prass fazer grande defesa em chute de Fernández, a zaga bateu cabeça, Renato Silva chutou a bola em cima de Felipe na área e ela sobrou para Curiel chutar por entre as pernas do arqueiro do Vasco e diminuir, aos 31. Estupidamente, aos 34 um torcedor peruano jogou um sinalizador dentro do campo e fez a partida parar, o que interessava ao Vasco naquele momento.

No entanto, o jogo mudara, com o Alianza partindo na base do abafa em busca do empate. Aos 37, Allan salvou em cima da linha, após Prass disputar e perder a bola no alto com Arroe, que teria feito falta no goleiro vascaíno. Apesar dos gritos desesperados do técnico Cristóvão Borges para o time brasileiro não recuar, a pressão da equipe da casa continuava a toda. Aos 44, Riza quase marcou, e dois minutos depois Nilton entrou com o pé na cabeça de Carmona e foi expulso. Isso só aumentou a dramaticidade do jogo para os vascaínos, que só respiraram aliviados com o apito final do árbitro. Assim, o Vasco pôde vibrar muito com a sofrida vitória e a aproximação das oitavas de final da Libertadores.

Fonte:Primeiraedição





Tags: