Aprovado monitoramento em presídios e cadeias do Estado

03/05/2012 09:55



Um ano após o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) lançar o sistema de mapeamento – pela Internet – sobre a situação de penitenciárias, cadeias públicas, delegacias e hospitais de custódia do país, o projeto que cria o sistema de monitoramento por meio de áudio e vídeo, em tempo real, nos presídios e cadeias de Mato Grosso será apreciado em primeira votação pela Assembleia Legislativa.

O sistema a ser desenvolvido no Estado vai proporcionar a geração ininterrupta de imagens que serão acompanhadas e gerenciadas por uma central responsável. A proposta recebeu parecer favorável da Comissão de Segurança Pública e Comunitária.

Ela foi apresentada em abril do ano passado pelo vice-líder do governo na AL, deputado Wagner Ramos (PR), ao governador Silval Barbosa (PMDB) e ao secretário de Estado de Segurança Pública, Diógenes Curado. Em seguida foi protocolada na Assembleia e identificada como Projeto de Lei nº 149/2011.

“Com esse modelo de monitoramento, o Estado vai prevenir possíveis rebeliões e fugas, e acompanhar em tempo real a movimentação dos reeducandos e o trabalho dos agentes. Esse controle vai gerar maior eficácia operacional e redução de custos na administração do sistema”, explicou Wagner Ramos.

Outra ferramenta complementar foi lançada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em meados do mês passado. A Central Nacional de Informações Processuais e Extraprocessuais. Já considerada uma espécie de “Google da Justiça”, a CNIPE promete fornecer dados via Internet sobre a existência ou não de ações contra pessoas e imóveis.

Um ano após o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) lançar o sistema de mapeamento – pela Internet – sobre a situação de penitenciárias, cadeias públicas, delegacias e hospitais de custódia do país, o projeto que cria o sistema de monitoramento por meio de áudio e vídeo, em tempo real, nos presídios e cadeias de Mato Grosso será apreciado em primeira votação pela Assembleia Legislativa. O sistema a ser desenvolvido no Estado vai proporcionar a geração ininterrupta de imagens que serão acompanhadas e gerenciadas por uma central responsável. A proposta recebeu parecer favorável da Comissão de Segurança Pública e Comunitária. Ela foi apresentada em abril do ano passado pelo vice-líder do governo na AL, deputado Wagner Ramos (PR), ao governador Silval Barbosa (PMDB) e ao secretário de Estado de Segurança Pública, Diógenes Curado. Em seguida foi protocolada na Assembleia e identificada como Projeto de Lei nº 149/2011. “Com esse modelo de monitoramento, o Estado vai prevenir possíveis rebeliões e fugas, e acompanhar em tempo real a movimentação dos reeducandos e o trabalho dos agentes. Esse controle vai gerar maior eficácia operacional e redução de custos na administração do sistema”, explicou Wagner Ramos. Outra ferramenta complementar foi lançada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em meados do mês passado. A Central Nacional de Informações Processuais e Extraprocessuais. Já considerada uma espécie de “Google da Justiça”, a CNIPE promete fornecer dados via Internet sobre a existência ou não de ações contra pessoas e imóveis.

De acordo com o republicano, em pouco tempo esse conjunto permanente de informações e fontes relacionadas à segurança pública nacional vai proporcionar melhor qualidade de vida aos cidadãos, aos segmentos sociais e às autoridades mato-grossenses e dos demais Estados.

Fonte:Al/MT





Tags: