Julgamento do impeachment por Lewandowski desperta receio da oposição

Com o julgamento do impeachment por Lewandowski, ministro pode entrar para a história. Renan garantiu que julgamento será feito por ele ainda na presidência do STF. Encerrando um clima antecipado de vitória da oposição, o presidente do Senado ao ser recebido pelo presidente do STF, Ricardo Lewandowski  no dia 18, deu ao ministro o compromisso …

02/05/2016 13:02



Com o julgamento do impeachment por Lewandowski, ministro pode entrar para a história. Renan garantiu que julgamento será feito por ele ainda na presidência do STF.

Encerrando um clima antecipado de vitória da oposição, o presidente do Senado ao ser recebido pelo presidente do STF, Ricardo Lewandowski  no dia 18, deu ao ministro o compromisso do julgamento da presidente Dilma Rousseff ocorrer com ele ainda na presidência do Supremo.

O ministro quer um lugar na História: a Constituição determina que o presidente do STF comandará o julgamento, no prazo de 180 dias. Seu mandato expira em 10 de setembro, 123 dias após a saída de Dilma.

Lewandowski será substituído em 14 de setembro, na presidência do Supremo, pela atual vice-presidente, ministra Cármen Lúcia, mas antes quer para si o comando do julgamento do processo enquanto ainda presidente.

Amigos de Lewandowski dizem que ele pretende antecipar sua aposentadoria, fazendo-a coincidir com o fim da sua presidência.

A oposição diante desse possível cenário, vê com reservas o interesse de Lewandowski de presidir o julgamento de Dilma, com quem tem estreitas relações de amizade.

 

Da Redação com informações da coluna do jornalista Cláudio Humberto.