Mercado monitora ações de Temer e Meirelles

Após discursos, mercado aguarda ações de Temer e Meirelles. Anúncio de presidente do BC pode ficou para amanhã. Preços de commodities avançam. A notícia mais esperada desta segunda-feira (16) foi adiada. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, deixou para amanhã o anúncio dos membros de sua equipe e do novo presidente do Banco Central, de …

16/05/2016 09:10



Após discursos, mercado aguarda ações de Temer e Meirelles. Anúncio de presidente do BC pode ficou para amanhã. Preços de commodities avançam.

A notícia mais esperada desta segunda-feira (16) foi adiada. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, deixou para amanhã o anúncio dos membros de sua equipe e do novo presidente do Banco Central, de acordo com o Valor Econômico.

Tarcísio Godoy foi confirmado na sexta-feira (13) como secretário-executivo e o mercado tende a ficar em compasso de espera pela confirmação de Ilan Goldfajn na presidência do BC, enquanto Carlos Hamilton, Marcos Mendes e Mansueto Almeida devem compor a equipe do novo ministro.

Enquanto isso, a missão de Meirelles de recuperar a economia já começa a enfrentar obstáculos. Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, o ministro da Fazenda e o presidente em exercício Michel Temer recebem pressão de centrais sindicais e de empresários devido ao pacote de medidas que a equipe econômica pretende anunciar nos próximos dias.

Aliados de Temer no processo de impeachment como o presidente da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), Paulo Skaf, e o deputado Paulinho da Força, da Força Sindical, são contra a volta da CPMF e a reforma da Previdência.

A ausência de planos de se candidatar em 2018 é uma vantagem, disse Temer em entrevista ao Fantástico, da Rede Globo. Ele declarou que isso lhe dará, inclusive, mais liberdade para tomar medidas duras para reestruturar a economia. “Posso até ser impopular”, afirmou.

O processo de impeachment segue em andamento. A Comissão Especial volta a se reunir nesta semana, já na condição de Comissão Processante, para começar a definir os próximos passos da ação contra a presidente afastada Dilma Rousseff.

Nesta terça-feira (17), o presidente da comissão, senador Raimundo Lira (PMDB-PB), e o relator do processo, senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), se encontrarão com o presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, e assessores jurídicos, para tomar conhecimento dos detalhes legais do procedimento.

Sem novidades no campo político e em dia de agenda fraca, os investidores tendem a olhar para o ambiente internacional.

No mercado internacional, as bolsas chinesas encerraram em alta após o regulador do mercado negar notícias da mídia de que estaria se opondo a captações de recursos e aquisições em certos setores, o que ajudou a compensar indicadores econômicos fracos.

Os preços das commodities avançam, com destaque para a alta de mais de 1% do petróleo devido aos problemas na produção na Nigéria e após avaliações positivas para seus preços.

As bolsas europeias recuam e os índices futuros norte-americanos oscilam próximo da estabilidade.

“Enquanto os investidores aguardam o anúncio da nova equipe econômica, que deve ocorrer até amanhã, os mercados domésticos tendem a continuar fracos”, afirma a LCA Consultores.


Da Redação com informações de Gustavo Kahil, Weruska Goeking e Marcelo Ribeiro, jornalistas especialistas em mercado