Curso de extensão do TCE-MT “Cidadania e Controle Social”

Aula Magna reuniu ontem mais de 400 pessoas. O curso ofertado pelo órgão e que tem início dia 01.08, resulta da parceria do EAD com a UFMT/Fundação Uniselva O conselheiro Antonio Joaquim, presidente do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso,  foi o principal palestrante da Aula Magna Inaugural do curso de extensão “Cidadania e Controle …

26/07/2016 11:32



Aula Magna reuniu ontem mais de 400 pessoas. O curso ofertado pelo órgão e que tem início dia 01.08, resulta da parceria do EAD com a UFMT/Fundação Uniselva

O conselheiro Antonio Joaquim, presidente do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso,  foi o principal palestrante da Aula Magna Inaugural do curso de extensão “Cidadania e Controle Social” que aconteceu na tarde desta segunda-feira (25.07), na Escola de Contas com a participação de mais 400 pessoas. O curso, que terá inicio no próximo dia 01 de agosto, é ofertado pelo TCE-MT através do Programa de Ensino A Distância (EAD), em parceria com a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)/Fundação Uniselva.

Em sua palestra, o presidente do TCE abordou o tema “Não existe democracia sem controle social”. O conselheiro salientou que a iniciativa da Corte de Contas atende a uma demanda crescente da sociedade com informações sobre como atuar efetivamente no controle das políticas e das gestões públicas, além de proporcionar o avanço e amadurecimento da consciência coletiva sobre o exercício da cidadania e controle social.O curso atenderá 2.000 conselheiros de Políticas Públicas do Estado e dos municípios, agentes integrantes de organismos da sociedade organizada, professores e estudantes. Terá duração de 100 horas/aula divididas em três módulos. Os certificados serão emitidos pela UFMT que disponibilizou a plataforma digital e o material devidamente adequados e revisados pela coordenação do TCE de Mato Grosso.

“O Tribunal de Contas poderia ficar em sua caixinha constitucional, que é fiscalizar e julgar contas de gestão pública. Mas, nós somos inconformados com a situação do nosso país, do nosso estado e cremos que todos os órgãos de controle como o TCE, o Ministério Público, o Judiciário, os Legislativos Estadual, Municipal, Federal, deveriam fazer o que temos feito: estimular as pessoas a viverem plenamente sua cidadania em sua cidade, em seu estado, no país”, frisou o conselheiro.

curso extensivo TCE-MT 1

O conselheiro salientou, ainda, que cabe ao cidadão assumir a responsabilidade de participar ativamente da política, utilizando as ferramentas disponíveis de controle social, dos espaços de debates das políticas públicas. “Não devemos deixar tudo nas mãos dos governos. A crise só será efetivamente resolvida pela atuação da sociedade no exercício de sua cidadania, seja cumprindo seus deveres, seja exigindo dos gestores o cumprimento de suas obrigações. Para isso, é preciso estar informado e preparado”, argumentou Antônio Joaquim.

“Durante o curso, vamos empoderar os participantes, oferecendo-lhes conhecimento sobre as diversas ferramentas tecnológicas do TCE para o controle social bem como as estruturas de organização dos sistemas de controle externo e interno, os diversos canais de participação direta do cidadão nesses sistemas, os papeis dos conselhos e das entidades organizadas da sociedade neste contexto do controle social”, destacou a secretária.A secretária de Articulação Institucional e Desenvolvimento da Cidadania do Tribunal de Contas, Cassyra Vuolo, explicou que o objetivo do curso é estimular o controle social fazendo com que o cidadão seja participativo na fiscalização dos recursos públicos dos municípios. Beneficiará não apenas os conselheiros mas também cidadãos que desejam participar mais ativamente dos processos de definição, acompanhamento e fiscalização das políticas e da gestão pública.

A aula magna contou com a participação de mais de 400 pessoas, tendo na mesa diretora além do presidente do TCE, conselheiro Antonio Joaquim, o conselheiro Valdir Júlio Teis, o procurador geral de contas, Gustavo Coelho Dechampes, a professora Rosana Abutakka, representante da UFMT/Uniselva e a secretária da SAI, Cassyra Vuolo.

O projeto de Educação a Distância Tribunal de Contas de Mato Grosso teve início em 2012, sendo um dos itens que compõem o Programa de Desenvolvimento Institucional Integrado (PDI). Desde então, foram realizadas 64 palestras técnicas sobre os temas mais relevantes para a administração pública e também para a sociedade. Os vídeos das palestras podem ser encontrados pelo link: http://ead.tce.mt.gov.br

 

Da Redação com informações da Assessoria de Imprensa TCE-MT