”Mãe de Todos” – Com prejuízos estratosféricos e um quadro inchado, Petrobrás escancara a sua ineficiência

A estatal ”ninho” ou ”covil” da corrupção brasileira, Petrobrás, gera uma fábula de prejuízo – R$ 14,8 bilhões – e ainda emprega um recorde – 230 mil funcionários – uma ”Mãe” Apesar de prejuízos bilionários por três anos consecutivos, a Petrobras ainda é a petroleira que mais paga salários no mundo. A anacrônica legislação trabalhista …

30/03/2017 02:00



A estatal ”ninho” ou ”covil” da corrupção brasileira, Petrobrás, gera uma fábula de prejuízo – R$ 14,8 bilhões – e ainda emprega um recorde – 230 mil funcionários – uma ”Mãe”

Apesar de prejuízos bilionários por três anos consecutivos, a Petrobras ainda é a petroleira que mais paga salários no mundo. A anacrônica legislação trabalhista obriga a estatal a bancar 230 mil funcionários, quase a soma das três maiores do planeta (British Petroleum, Exxon e Shell), que empregam 253 mil em todo o mundo. As três lucraram R$ 41 bilhões em 2016, enquanto a Petrobras deu prejuízo de R$ 14,8 bilhões.

Somente os oito diretores Petrobras custaram R$ 25,3 milhões em 2016, incluindo salários, bônus, benefícios e encargos sociais.

O Plano de Demissão Voluntária da Petrobras custará R$ 4 bilhões, mas a adesão foi de apenas 12 mil funcionários.

A Petrobras deve pagar generosas indenizações aos funcionários que aderiram ao plano de demissão. Tem gente que embolsará R$ 706 mil.

Um engenheiro de petróleo chega a ganhar R$49,3 mil na Petrobras. Um coordenador recebe até R$ 30 mil mensais.

 

Da Redação com informações da Agência Estado