Quadro Negro – Polícia Civil apavora os ”figurões tranquilos”

Figurões e ex-figurões que não levaram a sério o clássico ditado bíblico ”Aqui se faz, aqui se paga”, mas quiseram acreditar levavam uma vida tranquila aos olhos da justiça O ex-governador e atua Pastor, Silval da Cunha Barbosa e Pedro Jamil Nadaf, ex-secretário da gestão Barbosa, fizeram depoimentos ano passado na CGE (Controladoria Geral do …

22/10/2019 11:49



Figurões e ex-figurões que não levaram a sério o clássico ditado bíblico ”Aqui se faz, aqui se paga”, mas quiseram acreditar levavam uma vida tranquila aos olhos da justiça

O ex-governador e atua Pastor, Silval da Cunha Barbosa e Pedro Jamil Nadaf, ex-secretário da gestão Barbosa, fizeram depoimentos ano passado na CGE (Controladoria Geral do Estado) sobre um esquema de aquisições milionárias e supostamente fraudulentas de softwares para escolas estaduais em 2014.

À época a CGE apurou a suspeita – reforçada pelo resultado de uma auditoria – de que a empresa contratada, a Avançar Tecnologia em Software Ltda, com sede em Goiás, teria se beneficiado com dois contratos com indícios de fraudes que, juntos, somavam R$ 10 milhões.

O ex-deputado e ex-presidente do Cepromat, Wilson Teixeira Dentinho, tranquilo em sua residência, foi preso na manhã desta terça-feira (22) durante a Operaçao Quadro Negro, deflagrado pela Polícia Civil.

Além de Dentinho, foram presos o empresário Valdir Piran, o qual estava tranquilo em Brasília. Weydson Soares Fonteles estava tranquilo em Luziânia (GO). Os tranquilos da capital são: o ex-diretor de Tecnologia do Cepromat, Djalma Souza Soares; o fiscal de contratos Edevamilton de Lima Oliveira; e o ex-secretário-adjunto da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Francisvaldo Pereira de Assunção.

 

 

 

Da Redação