Operações Policiais – MT é ”café pequeno” perto do Brasil real

Diferença abissal entre valores de propinas apresentadas pelas recentes operações Quadro Negro – R$ 60 mil, ex-deputado Dentinho e na Tango & Cash, Brasília, R$ 60 milhões á ex-diretor da Petrobrás A discrepância dos valores de propinas apresentadas nas operações policiais de Mato Grosso e Brasília, mostra o quanto somos ”café pequeno”. A Polícia Civil …

23/10/2019 12:10



Diferença abissal entre valores de propinas apresentadas pelas recentes operações Quadro Negro – R$ 60 mil, ex-deputado Dentinho e na Tango & Cash, Brasília, R$ 60 milhões á ex-diretor da Petrobrás

A discrepância dos valores de propinas apresentadas nas operações policiais de Mato Grosso e Brasília, mostra o quanto somos ”café pequeno”.

A Polícia Civil e Delegacia Fazendária de MT deflagrou a operação Quadro Negro, com apontamentos de corrupção e desvio de verbas públicas através de vendas de softwares, onde entre os principais alvos, está o ex-deputado Dentinho, preso e acusado de receber ”apenas” R$ 60 mil. Já Waldir Piran, também preso na operação, é acusado de ter recebido um ”pouco mais”, R$ 2 milhões.

Enquanto isso em Brasília…A Polícia Federal (PF) está nas ruas para a Operação “Tango & Cash”, 67ª fase da Lava Jato, cumprindo 23 mandados de busca e apreensão, nesta quarta-feira (23), que investiga a empresa Techint, fornecedora da Petrobras. O esquema corrupto funcionou desde 2006, no governo Lula.

A empresa, que teve R$ 1,7 bilhão bloqueados pela Justiça Federal, é suspeita de haver pago propinas no valor de R$ 60 milhões para obter contratos na estatal. O suborno equivale a 2% no valor de cada contrato.

Podemos imaginar o que seria se os figurões de Brasília tivessem a mesma ganância das ”figurinhas” de Mato Grosso? O roubo seria para todo o sempre e dificilmente implodido pelo sistema.

Da Redação com informações do site Diário do Poder