Editorial – Eleições Municipais: ex-secretário avalia independência na disputa

O ex-secretário de Obras Públicas da capital, José Roberto Stopa, estaria analisando possível ”independência política” na disputa eleitoral para a Prefeitura de Cuiabá Diante do atual quadro político pandêmico que se encontra hoje na capital, onde inúmeros fatores desfavorecem os que seriam outrora os ”principais” nomes à então disputa ao executivo municipal, José Roberto Stopa …

05/08/2020 00:50



O ex-secretário de Obras Públicas da capital, José Roberto Stopa, estaria analisando possível ”independência política” na disputa eleitoral para a Prefeitura de Cuiabá

Diante do atual quadro político pandêmico que se encontra hoje na capital, onde inúmeros fatores desfavorecem os que seriam outrora os ”principais” nomes à então disputa ao executivo municipal, José Roberto Stopa (PV), o ”trator Stopa”, como alguns o chamam pela sua dinâmica e versatilidade profissional, estaria avaliando sua possível independência para o pleito municipal que se aproxima.

Stopa vem no comando consecutivo de duas gestões municipais à frente da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos. A primeira, na gestão municipal do atual governador Mauro Mendes (DEM), onde Stopa era seu ‘homem forte’ em ações que abrilhantavam sua gestão – obras públicas. Agora, com igual ou maior prestígio junto ao prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), Stopa foi cotado para ir além de uma Secretaria dessa vez: vice prefeito.

Ocorre que, José Stopa, tem bom relacionamento com seu ex-chefe (Mauro Mendes), desafeto inquestionável do seu então, ”atual” chefe, Emanuel Pinheiro. Com isso, segundo os bastidores, haveria um possível desconforto por parte de EP com a ainda boa relação existente com seu ex-secretário e seu algos do executivo estadual.

O governador Mauro Mendes, vem assistindo sua popularidade em queda livre com servidores públicos estaduais, os quais alguns, residentes na capital, já declaram ”guerra nas urnas” contra qualquer candidato de apoio do chefe do Paiaguás. E agora com a pandemia, agravou ainda mais suas ranhuras com atitudes nada republicanas em detrimento da população. Sendo assim, os nomes cogitados pelo governador, estariam sendo considerados ”cartas fora do baralho”, fazendo com que o governador quisesse trazer para perto, seu ex-homem forte da sua gestão municipal.

Já o prefeito Emanuel Pinheiro, vem sofrendo duras críticas políticas e populares. A primeira sobre o já folclórico dinheiro no paletó, quando ainda Deputado Estadual, onde a Câmara Municipal deu por absolve-lo na então, não menos folclórica, ”CPI do Paletó”. A segunda seriam advindas dos atos, ações e decretos municipais para combater o avanço da pandemia, apontadas por alguns, em sua maioria comerciantes, como exagerados e por outros como ilícitos. Desse modo, EP também estaria com sua reputação possivelmente ”comprometida”, por assim dizer, para uma eventual disputa a reeleição.

Conforme os dois cenários apresentados, onde ambas figuras exponenciais da política atual de Cuiabá e Mato Grosso, estaria possivelmente com imagens desgastadas, José Roberto Stopa estaria então, analisando a candidatura ”solo” ao Alencastro pelo seu partido.

Com imagem de gestor municipal ilibada, comprovada e aprovada pela população, Stopa teria duas opções no próximo pleito: acenar um ”tchau” para o ex-chefe, o qual só cogitou uma aproximação devido as inviabilidades dos nomes palacianos; e um ”tchau-obrigado” ao atual prefeito que, de certa forma poderia também comprometer, pelos ”fardos” que o mesmo carrega, o vôo de quem quer bater suas próprias asas.

 

 

 

 

 

Por Kadu Rachid, publicitário, crítico, analítico & opintativo