Opinião – Boas notícias do Agro

Setor fortalece a sustentabilidade a cada ano

04/01/2021 13:39



Setor tem muito o que comemorar
Apesar da dificuldade, há boas novas

Colheita de soja em Lucas do Rio Verde, 332 km da capital

Nesses tempos apreensivos de pandemia, o agro brasileiro avança com otimismo. Além de recordes de safra e de exportações, fortalece sua técnica de produção. Com sustentabilidade.

Confira cinco notícias positivas, recentes, relacionadas ao agro nacional:

1 – USO DE DEFENSIVOS BIOLÓGICOS

O Ministério da Agricultura (Mapa) aprovou um número recorde de 76 defensivos biológicos em 2020. Confira no infográfico. Os biopesticidas avançam no controle de pragas, utilizados em sinergia com ingredientes químicos. Biofábricas e laboratórios de biotecnologia se instalam no campo, indicando uma tendência firme rumo à sustentabilidade do agro.

2– PAGAMENTO POR SERVIÇOS AMBIENTAIS

O Congresso Nacional aprovou, após uma década de discussão, o projeto de lei que cria a Política Nacional de Pagamento por Serviços Ambientais.

Serviços ambientais são atividades individuais ou coletivas que favorecem a manutenção, a recuperação ou a melhoria de ecossistemas. A prioridade será para os serviços ambientais providos por comunidades tradicionais, povos indígenas e agricultores familiares.

3 – PISCICULTURA EM ALTA

Decreto do governo federal (Decreto 10.576/2020) facilitou a implantação da piscicultura nas águas de domínio da União, incluindo rios federais, mar territorial e reservatórios de hidrelétricas. A cessão dos espaços hídricos ocorrerá por outorga (até 35 anos), e não dispensa o licenciamento ambiental nos órgãos estaduais.

Somente nos reservatórios de usinas hidrelétricas federais, a ANA (Agência Nacional de Águas) estima uma capacidade produtiva de 3,9 milhões de toneladas de peixes ao ano. O potencial quintuplica a produção atual de peixes em cativeiros (758 mil toneladas). A tilápia lidera e empolga: carne branca, sem espinho, proteína de alta qualidade, preço acessível.

4 – SEGURO RURAL

A área agrícola segurada no país alcançou o recorde de 13,7 milhões de hectares em 2020, cerca de 98% acima do ano anterior. Atinge 20% da área total ocupada na agricultura. O Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR/Mapa) aplicou R$ 880 milhões, o dobro do valor executado em 2019. Foram beneficiados aproximadamente 105 mil produtores rurais (193 mil apólices).

Somente commodities? Nada disso. As culturas que apresentaram maior demanda por seguro rural foram soja, milho, trigo, maçã, uva, café, arroz e tomate. As operações de pecuária tiveram um crescimento de 400%; regionalmente, no Nordeste, as operações contratadas cresceram 200%.

5 – COMBATE AO DESMATAMENTO

Operação recente da Polícia Federal realizou a maior apreensão de madeira nativa da história do Brasil. Foram 43.700 gigantescas toras apreendidas ao longo dos rios Mamuru e Arapiuns, divisa do Pará com o Amazonas.

A operação policial deixou claro que funciona um esquema criminoso baseado na fraude nos planos de manejo florestais. Os salafrários “esquentam” madeira cortada ilegalmente a partir das autorizações públicas, havendo suborno no órgão estadual de meio ambiente. É a velha e conhecida picaretagem dos DOFs (Documentos de Origem Florestal), emitidos pelo Ibama ou pelos estados do Pará e Mato Grosso.

Qual a boa notícia? Ficou claro que o desmatamento criminoso nada tem a ver com a agropecuária. Sua causa é a corrupção política.

 

 

 

 

Por Xico Graziano, 67, é engenheiro agrônomo e doutor em Administração. Foi deputado federal pelo PSDB e integrou o governo de São Paulo. É professor de MBA da FGV e sócio-diretor da e-PoliticsGraziano.