Opinião – Palavras vivas

Por Vicente Lomongi Netto

27/01/2021 11:57



Perguntas que não calam

Assobiam nos ouvidos sensíveis e acurados:

Por que  Bolsonaro não desarma o espírito e vai conversar com o embaixador da China, ao invés de mandar 4 ministros? Quando o deputado Eduardo Bolsonaro vai se declarar amigo da família de Joe Baden?

Qual o tamanho da vergonha e da indignação de eternos craques, como Gerson, Jairzinho, Afonsinho, Zagallo, e Paulo Cesar Caju, que deram glórias ao Botafogo, vendo agora a decadência do time, aritmeticamente rebaixado para a série B do Brasileirão?

Será que a justiça não agirá com rigor com os maus brasileiros que estão furando filas da vacinação?

O sortudo americano que ganhou na loteria o correspondente a 3 bilhões de reais, será republicano ou democrata?

Por que não saiu o nome do reitor, na boa matéria do Correio Braziliense, recordando que o pai da nova vice-presidente dos Estados Unidos, Donald Harris, fez palestras na UnB, em 1997?

Porque Neymar e outros atletas abonados não colaboram na campanha por cilindros de oxigênio, para aliviar o sofrimento de amazonenses contaminados pela covid-19?

O Brasil já teve ministro das Relações Exteriores mais trapalhão, que gagueja e tropeça nas palavras, do que Ernesto Araújo? Será que aparecerá algum alquimista do Palácio do Planalto, com bons argumentos que desmintam o embaixador Marcos Azambuja, que definiu a política externa brasileira como “desastrosa, ruim e errada”?

Bolsonaro decidiu elogiar as Forças Armadas, porque botou na cabeça que a reeleição dele não é mais favas contadas?

Alguém duvida que em 2021 os brasileiros terão os mesmos temores, amarguras, decepções e dificuldades, de 2020?

 

 

 

 

Por Vicente Limongi Netto é jornalista.  Sócio da ABI há 52 anos e servidor aposentado do Senado Federal.