Já era Hora – Semob faz operação para enquadrar ‘motoqueiros’ barulhentos

Operação da Semob, Sorp e Batalhão de Trânsito retira motocicletas ‘barulhentas’ das ruas da Capital

12/02/2021 15:19



Sonorização criminosa
Autores não tem limites
Uma afronta à população
Medida já chegou tarde, mas válida

Medidor dos níveis de decibéis provocados pelas motocicletas: altíssimo índice de reclamações

As secretarias municipais de Mobilidade Urbana (Semob), Ordem Pública (SORP), e o Batalhão de Trânsito da Polícia Militar, realizaram na noite dessa quinta-feira (11),  a operação ‘Descarga Livre’ que retirou das ruas de Cuiabá  motocicletas com escapamentos modificados com a finalidade de acentuar os efeitos sonoros do veículo automotor, licenciamento vencido, ausência de Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e outros.

No total foram 31 autuações: alcoolemia (art. 165 e art. 306): 1 – recusa (art. 165-A): 1 – licenciamento vencido (art. 230-V): 8 – sem possuir CNH (art. 162, I): 7 – escapamento modificado  (art. 230-XI):  6 e outras infrações foram 9. Ainda, 24 motocicletas foram recolhidas para o pátio da Semob.

Neste ano, conforme o secretário da Semob, Antenor Figueiredo, a operação ‘Descarga Livre’  será rotineira. A ideia é retirar de circulação motos ‘barulhentas’. “Está aumentando o número de reclamação por parte da população e a Semob vai conter o crescimento desta prática de modificar o escapamento porque é proibido por lei e o barulho incomoda, principalmente idosos, crianças autistas, bebês recém-nascidos e os cães”, lamentou Antenor.

Conforme equipe da SORP, o tolerado para o barulho de escapamento de motocicletas é de  55 dB.  A prática acarreta ao motorista infração de natureza grave, com perda de cinco pontos na CNH e multa no valor de R$195,23. “O motociclista terá sua moto recolhida para o pátio. Se o proprietário tiver um mecânico disposto a arrumar o escapamento na hora da fiscalização, ele pode fazer a correção do escapamento e ser liberado. Porém, é muito difícil.  E no pátio, também é de responsabilidade do motociclista levar o mecânico”, explicou o supervisor.

 

 

 

 

Da Redação com informações da assessoria por Fernanda Leite