Terezinha Maggi diz que candidatura de Mauro Mendes não “decola”

A primeira-dama e secretária de Estado de Trabalho, Emprego e Assistência Social, Terezinha Maggi previu, nesta segunda-feira (22), que a candidatura do empresário Mauro Mendes (PSB) ao Governo do Estado não vai “decolar”. A opinião, conforme ressaltou, é pessoal, mas ganha uma relevância pelo fato de a republicana integrar a alta cúpula do PR em …

22/03/2010 16:52



De acordo com a primeira-dama, a dificuldade para alavancar a candidatura de Mendes se dá em função da falta de uma aliança consistente

A primeira-dama e secretária de Estado de Trabalho, Emprego e Assistência Social, Terezinha Maggi previu, nesta segunda-feira (22), que a candidatura do empresário Mauro Mendes (PSB) ao Governo do Estado não vai “decolar”. A opinião, conforme ressaltou, é pessoal, mas ganha uma relevância pelo fato de a republicana integrar a alta cúpula do PR em Mato Grosso.

Terezinha disse acreditar que Mendes desistirá de sua pré-candidatura, voltando a se aliar à base governista e somando com a candidatura do vice-governador Silval Barbosa (PMDB). E não descartou a possibilidade de o empresário, inclusive, ser vice da chapa majoritária.

De acordo com a primeira-dama, a dificuldade para alavancar a candidatura de Mendes se dá em função da falta de uma aliança consistente, uma vez que os partidos da coligação “Movimento Mato Grosso Mais” (PPS, PDT, PV e PMN) que apoiam o empresário estão em crise interna, e sem definir qual candidatura vai apoiar. Dessa forma, segundo ela, Mendes não conseguiria viabilizar seu nome apenas com apoio de seu partido, o PSB.

“Tenho esperança que o Mauro reavalie sua posição e venha somar com a candidatura do Silval. Entendo que, com a soma de valores, o grupo terá êxito nas eleições de outubro. Ninguém consegue se eleger sozinho, e os partidos que se dizem aliados do Mauro passam por momentos de instabilidade, podendo ficar sem aliança e prejudicando a sua candidatura. Dessa forma, espero que venha ser vice do Silval”, afirmou Terezinha.

Ainda quando fazia parte do PR, Mendes chegou a ser cotado para disputar o Governo do Estado. No entanto, a indefinição do empresário fez com que o partido declarasse apoio ao vice-governador Silval Barbosa, que manifestou sua intenção de ser candidato. Logo depois, o empresário decidiu migrar para o PSB, onde foi pressionado pela cúpula nacional, para lançar sua pré-candidatura ao Palácio Paiaguás.

Antes do lançamento do nome de Mendes, o governador Blairo Maggi tentou convencê-lo de deixar o projeto de lado, e propôs um composição na chapa majoritária encabeçada por Silval Barbosa, mas ele descartou a possibilidade.

Mendes teve apoio da base governista quando disputou a Prefeitura de Cuiabá, em 2008, pelo PR. Ele chegou ao segundo turno, mas não conseguiu bater Wilson Santos (PSDB), que disputava a reeleição e que obteve 175.038 mil votos válidos, contra 114.432 de Mendes. Desde então, passou a ter seu nome cotado para disputar cargos majoritários, uma vez que tem perfil executivo.

Pré-candidatos

As candidaturas somente serão definidas durante as convenções partidárias, previstas para serem realizadas em junho deste ano. No entanto, três pré-candidatos colocaram seus nomes da disputa. São eles: o empresário Mauro Mendes, o vice-governador Silval Barbosa e o prefeito de Cuiabá, Wilson Santos (PSDB).

Santos renuncia o cargo no próximo dia 31, e Silval assume o Governo do Estado em abril próximo.

Outro lado

O empresário Mauro Mendes não foi encontrado para falar sobre as declarações de Terezinha Maggi. Ele não atendeu às ligações para o seu celular.

(Fonte: Mídia News)