Produtores rurais têm novo espaço para comercializar sua produção

A  Central de Comercialização da Agricultura Familiar José Carlos Guimarães, no município de Várzea Grande, é o novo espaço, oferecido pelo govenador Blairo Maggi, para as famílias comercializarem sua produção O local vai abrigar produtores de 14 municípios do Território da Cidadania – Baixada Cuiabana com a produção de legumes, verduras e frutas. Com investimentos na ordem de …

25/03/2010 17:54



A  Central de Comercialização da Agricultura Familiar José Carlos Guimarães, no município de Várzea Grande, é o novo espaço, oferecido pelo govenador Blairo Maggi, para as famílias comercializarem sua produção

O local vai abrigar produtores de 14 municípios do Território da Cidadania – Baixada Cuiabana com a produção de legumes, verduras e frutas.

Com investimentos na ordem de R$ 3,6 milhões provenientes do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), numa área de 5 hectares e 3 mil metros quadrados de área construída, 1200 produtores cadastrados até o momento, estarão distribuindo seus produtos.

O secretário-adjunto da Agricultura Familiar da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Rural (Seder), Jilson Francisco Silva, ressaltou ser um dia histórico, quando o produtor recebeu o primeiro espaço para ofertar a sua produção diretamente ao consumidor. “A Central de Comercialização é um grande sonho que se torna realidade e a intenção, é eliminar os atravessadores que vão as propriedade rurais e compram o nosso produto”, destaca Jilson.

O presidente da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), Leôncio Pinheiro da Silva Filho, elogiou a iniciativa do governo do Estado, que beneficiará mais de 21,5 mil famílias. Ele explica que os técnicos da Empaer estão realizando um diagnóstico nas propriedades rurais, checando a tecnologia utilizada, quais produtos produzidos, rendimento, qualidade, transporte, comercialização e outros. O diagnóstico vai permitir planejamento na produção e garantir o abastecimento dos hortifruti na Central de Comercialização.

Pinheiro relata que para qualificar o produtor rural e os técnicos da Empaer foi assinado um convênio em tecnologia da produção com o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). A capacitação começa no mês de abril e será executado durante o ano de 2010, nos municípios de Acorizal, Barão de Melgaço, Chapada dos Guimarães, Cuiabá, Campo Verde, Jangada, Nobres, Nossa Senhora do Livramento, Nova Brasilândia, Planalto da Serra, Poconé, Rosário Oeste, Santo Antônio de Leverger e Várzea Grande.

O presidente da Associação dos Produtores do assentamento Santo Antônio da Fartura, do município de Campo Verde, Paulo Rodrigues Galvão, trouxe para a inauguração diversas hortaliças, tais como, tomate, repolho verde, abobrinha, alface americana e outros. Ele informa que hoje o assentamento tem mais de 200 produtores rurais e esperam comercializar a produção diretamente para os atacadistas, nesse espaço do agricultor familiar.

Empolgados em produzir, os produtores de Chapada dos Guimarães, João Batista Rodrigues Cavalheiro e Lauro Soares Amorim, do assentamento Descasvado, estão se programando para trazer para a Central de Comercialização em torno de 600 caixas por semana, entre elas, pimentão, abóbora, jiló, quiabo, pimenta de cheiro, maracujá e outras. Conforme Lauro essa produção conta com a participação de 12 famílias que pretendem ampliar as áreas e garantir produtos o ano inteiro. “Estamos contentes e nos preparando para melhorar a qualidade dos nossos produtos. É muito bom saber que agora temos um lugar para vender a nossa plantação”, enfatiza Lauro.

BONS NEGÓCIOS

“Proprietários de supermercados estão interessados na produção dos agricultores”, é o que relata o presidente da Associação dos Supermercados de Mato Grosso (Asmat), Cássio Catena e fala que 85% dos hortifruti são adquiridos em outros Estados. Na visão dele, faltava um local e logística adequada para trazer os produtos das propriedades rurais. O transporte dos vegetais é realizado pelos caminhões da Seder. ‘É uma grande iniciativa que pode combater a ação dos atravessadores, esse novo espaço do agricultor já é um sucesso. Vamos adquirir produtos para os supermercados de Cuiabá e Várzea Grande”, relata Cássio.

Para o funcionamento da Central de Comercialização será criado um sistema de gestão, é o que comenta o assessor especial da Seder, José Alfredo da Costa Marques. Segundo ele, está sendo sugerida a criação de uma cooperativa e a contratação de uma empresa de consultoria para elaborar um plano que facilite a comercialização dos agricultores. Na inauguração, aconteceu o leilão de produtos que foi dividido por lotes. Essa prática de venda poderá ser adotada pelos administradores.

A unidade disponibilizará espaços para locação de comercialização dos produtos, 95 boxes para comerciantes atacadistas, salas e salões para serviços para incentivar a produção, além de orientar e disciplinar a distribuição de hortifrutigranjeiros e outros produtos alimentícios de forma a atender à demanda do mercado.

AGROINDÚSTRIA

Durante a solenidade de inauguração da Central de Comercialização o governador Maggi entregou também equipamentos para os produtores rurais e agricultores familiares do Estado.

(Fonte: Página Rural)