Pior time do Brasil no ano, Cáceres-MT chegou a ter uniforme retido por lavadeira

Sem vencer desde o dia 28 de março de 2009, quando fez 3 a 0 no Cacerense pelo Campeonato Mato-Grossense, o Cáceres Esporte Clube pode ser considerado o pior time do Brasil na temporada. Principalmente se for levada em conta a sua campanha no Estadual de 2010, em que não conseguiu conquistar um ponto sequer. …

15/04/2010 17:28



Sem vencer desde o dia 28 de março de 2009, quando fez 3 a 0 no Cacerense pelo Campeonato Mato-Grossense, o Cáceres Esporte Clube pode ser considerado o pior time do Brasil na temporada. Principalmente se for levada em conta a sua campanha no Estadual de 2010, em que não conseguiu conquistar um ponto sequer. Em 13 jogos, marcou apenas nove gols e sofreu 65.

Rebaixado, o clube ameaça ser barrado da Segunda Divisão em 2011 por falta de competitividade, em decisão tomada pelo presidente da Federação Mato-Grossense, Carlos Orione.

Fundado em 1978, o Crocodilo do Pantanal não tem patrimônio. Sem qualquer meio de transporte para treinar no Estádio Geraldão, a equipe – formada por jogadores que recebem entre R$ 500 e R$ 1.500 – utiliza um campo em frente à prefeitura. Também não há departamento médico. Com isso, o secretário de Saúde do município de Cáceres, Luiz Landin, por vezes quebra o galho em jogos em casa.

– Nenhum time de Mato Grosso tem departamento médico, apenas o União (de Rondonópolis), porque tem dinheiro. O doutor Landin sempre nos ajudou, assim como sua esposa, a doutora Cláudia, que é cardiologista. Nunca cobraram um centavo – diz, por telefone, o presidente Luiz Mário Cardoso, também conhecido como Pacu.

As dificuldades financeiras fizeram com que o Cáceres deixasse de lado seus uniformes, um todo azul e outro todo branco. Por falta de pagamento a uma lavadeira, a roupa foi confiscada, e os jogadores tiveram de vestir camisas e calções de times amadores da cidade, como o Jardim das Oliveiras e o Beque Vila Real.

– Por falta de pagamento, ela reteve os uniformes. Autorizei a ficar com eles e tive que comprar outros para o segundo turno. Temos quatro cores no estatuto, então podemos usar, verde, amarelo, branco ou azul – explica Pacu.

Ex-jogador do Fla e presidente do Cáceres não se entendem

O clube, que sempre viveu em crise financeira, agora sofre com a troca de acusações entre o mandatário – há 15 anos no cargo – e o ex-jogador Júlio César, autor de um dos gols do Flamengo na final do Brasileiro de 1992, contra o Botafogo.

– Não tínhamos a mínima estrutura para disputar o campeonato deste ano. Em janeiro, o Júlio César esteve aqui em Cáceres e se reuniu conosco. Ficou decidido que ele montaria o plantel, com toda a estrutura, e o nosso compromisso era dar alimentação e moradia. Foram trazidos 22 jogadores inexperientes, e acharam que conseguiriam recursos na cidade. Como não conseguiram, abandonaram a equipe – afirma o presidente.
Júlio César chegou ao Cáceres com o objetivo de ser o diretor de futebol e implantar uma nova filosofia de trabalho, profissionalizando o clube. Ele diz que pagou pela falta de credibilidade de Pacu entre o empresariado local:

– Falaram que não tinham dinheiro para disputar o campeonato, mas que teriam uma quantia a receber de contratos atrasados com empresários locais. Levei 14 jogadores e ficou estabelecido que a folha de pagamento não poderia passar de R$ 35 mil. Eu gastei quase R$ 10 mil do meu bolso, com hotel e alimentação, pois nem moradia o clube deu. Nenhum empresário quis ajudar, e colocavam a culpa no presidente Luiz Mário – rebateu.

Sede da Copa sofre com Estadual deficitário

Cuiabá desbancou Goiânia e Campo Grande, sendo escolhida como sede na região Centro-Oeste para a Copa do Mundo de 2014, junto com a capital Brasília. No entanto, sofre com um Estadual deficitário e sem público. Praticamente todo o montante das rendas das partidas vai para a federação, para cobrir custos de arbitragens e demais taxas. Na tentativa de diminuir o prejuízo, o governo de Mato Grosso tem liberado uma verba para os clubes, porém com uma exigência:

– Existe a determinação para que os clubes tenham divisões de base. Portanto, há o campeonato profissional, o sub-17 e o sub-18. O clube que não tem categoria de base não disputa o Estadual – explica o jornalista Gonzaga Júnior, editor do “Jornal Oeste”, da cidade de Cáceres.

A campanha do Cáceres em 2010:

Cáceres 1 x 2 Cuiabá
Luverdense 3 x 0 Cáceres
Cáceres 0 x 1 Crac
Sorriso 2 x 1 Cáceres
Sinop 5 x 0 Cáceres
Cáceres 4 x 5 Cacerense
Operário 1 x 0 Cáceres
Cáceres 0 x 4 Luverdense
Cáceres 0 x 1 Sinop
Cuiabá 11 x 1 Cáceres
Crac 9 x 1 Cáceres
Cáceres 0 x 14 Sorriso
Cáceres 1 x 7 Operário