Maggi prega cautela e descarta favoritismo na disputa

Líder nas pesquisas de intenção de voto, o ex-governador Blairo Maggi (PR)prega cautela e não se considera eleito ao Senado, embora esteja com vantagem superior a 20 pontos percentuais com relação ao segundo colocado, o ex-senador Antero Paes de Barros (PSDB). “A minha vantagem se deve ao mandato de governador, que durou mais de sete …

06/06/2010 09:25




Líder nas pesquisas de intenção de voto, o ex-governador Blairo Maggi (PR)prega cautela e não se considera eleito ao Senado, embora esteja com vantagem superior a 20 pontos percentuais com relação ao segundo colocado, o ex-senador Antero Paes de Barros (PSDB).

“A minha vantagem se deve ao mandato de governador, que durou mais de sete anos, e o fato de ter tido a oportunidade de contribuir com mudanças na habitação, infra-estrutura e setores sociais. Por onde passo, a população se mostra grata às realizações, o que me deixa muito feliz”, afirmou Maggi,

Maggi também prefere não comentar a posição dos seus adversários, que neste momento são Antero Paes de Barros (PSDB), Carlos Abicalil (PT) e Pedro Taques (PDT). “O momento está marcado pelas definições dos partidos políticos. Ainda teremos tempo para se apresentar À população com detalhes das propostas e o cenário pode mudar”, disse.

Conhecido pelo perfil empresarial adotado no meio político, o ex-governador Blairo Maggi afirmou que uma eventual eleição ao Senado não implica em dificuldades. “Continuo com a vontade de contribuir com o Estado e não acredito que posso enfrentar dificuldades na legislatura”, afirmou o republicano.

Um dos projetos que tenho em mente é corrigir a distorção na distribuição do Fundo de Participação dos Estados [FPE]. E o dia-a-dia do Senado leva à construção de propostas ainda mais viáveis”, observou.

Maggi ainda destacou que, se eleito, pode encontrar outros ex-governadores no Congresso Nacional, o que facilitaria sua fase de adaptação. “Há a possibilidade de que oito a dez governadores sejam eleitos ao Senado. A metade disso já é suficiente para mantermos um bom relacionamento por conta dos currículos em comum”, afirmou.