MT Floresta libera recursos para recuperação de áreas degradadas em Nortelândia

O secretário de Estado de Desenvolvimento Rural Jilson Francisco da Silva assinou com o prefeito Neurilan Fraga de Nortelândia (253 km ao Médio-Norte de Cuiabá), nesta segunda-feira, (21.06) um convênio para a construção de uma estufa de 2.000 m2, no Viveiro Municipal no valor de R$ 256.475,00 com a capacidade de produção de 30.000 mudas/ano …

21/06/2010 18:38



O secretário de Estado de Desenvolvimento Rural Jilson Francisco da Silva assinou com o prefeito Neurilan Fraga de Nortelândia (253 km ao Médio-Norte de Cuiabá), nesta segunda-feira, (21.06) um convênio para a construção de uma estufa de 2.000 m2, no Viveiro Municipal no valor de R$ 256.475,00 com a capacidade de produção de 30.000 mudas/ano também para recuperação de áreas degradas e matas ciliares. O montante de R$ 177.000,00 pelo Fundo de Desenvolvimento Florestal do Estado de Mato Grosso, MT–Floresta, o montante a serem alocados de contrapartida é de R$ 79.475,00 e pela prefeitura de Nortelândia.

Em Tangará da Serra durante a 2ª edição do Governo Itinerante nessa sexta-feira, (18.06), foi oficializado pelo governador Silval Barbosa a minuta e com a aprovação do projeto foi possível a liberação desses recursos através de convênio. “As ações do Governo do Estado, por meio da Seder e do MT Floresta, têm uma atenção especial com as questões ambientais relacionadas às pesquisas, a produção, ao florestamento, reflorestamento e manejo florestal. Por isso, a liberação de recursos para esses projetos são fundamentais. Este projeto levará de fato desenvolvimento sustentável da região”, pontuou Jilson Francisco.

Neurilan fraga agradeceu ao Governo estadual pelos investimentos feitos na região, com a assinatura deste convênio, e também os incentivos à agricultura familiar com equipamentos destinados ao município e à infraestrutura por meio do qual patrulhas mecanizadas foram entregues em todo o Estado para promover melhorias nas estradas vicinais.

O deputado federal Homero Pereira disse que esse programa é muito importante para incentivar pequenos, médios e grandes produtores do estado a reflorestarem áreas degradadas com a garantia de implantação e expansão de atividades econômicas sustentáveis. “Essa região foi exaurida com o garimpo, e agora com políticas públicas para desenvolver a agricultura familiar serão possíveis as ações garantindo o desenvolvimento sustentável”.

Participaram da assinatura do convênio Renaldo Loffi, o Alemão, secretário de Estado da Secretária Extraordinária de Projetos Estratégicos (Sepe) Enock Alves Dos Santos, presidente da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural de Mato Grosso (Empaer) e os assessores Rogério Monteiro e Gustavo Ribeiro.

MT FLORESTA

Criado por meio da lei complementar número 233, de 21 dezembro de 2005, o MT-Floresta é considerado a legislação ambiental mais rigorosa do país. A Lei que auxilia na viabilização de projetos de reflorestamento, viveiros de mudas de essências florestais nativas, comerciais ou frutíferas, funciona em parceria com os consórcios intermunicipais. O MT-Floresta é subordinado à Secretaria de Desenvolvimento Rural de Mato Grosso (Seder). Fazem parte do Conselho Gestor representantes da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato), Secretaria de Indústria, Comércio, Minas e Energia de Mato Grosso (Sicme), Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (Fiemt), Procuradoria Geral do Estado (PGE), Secretaria do Meio Ambiente de Mato Grosso (Sema), Secretaria Estadual de Planejamento (Seplan), Amef, Fórum Matogrossense de Meio Ambiente e Desenvolvimento (Formad), Artfloresta e Fetagri-MT.