Júlio Baptista e Nilmar disputam a vaga deixada pela expulsão de Kaká

Júlio Baptista é o substituto direto de Kaká, mas Nilmar corre por fora pela vaga. Expulso contra a Costa do Marfim, seu primeiro cartão vermelho pela seleção, o camisa 10 vai desfalcar o Brasil na decisiva partida pelo primeiro lugar do Grupo G da Copa do Mundo contra Portugal, na sexta-feira, em Durban. Nesta segunda-feira, …

22/06/2010 10:40



Júlio Baptista é o substituto direto de Kaká, mas Nilmar corre por fora pela vaga. Expulso contra a Costa do Marfim, seu primeiro cartão vermelho pela seleção, o camisa 10 vai desfalcar o Brasil na decisiva partida pelo primeiro lugar do Grupo G da Copa do Mundo contra Portugal, na sexta-feira, em Durban.

Nesta segunda-feira, Nilmar foi um dos destaques do jogo-treino da seleção brasileira contra o time sub-19 do “The Birds”, uma equipe da cidade de Vaal, a cem quilômetros de Joanesburgo. O atacante não chegou a fazer gols na vitória por 7 a 1 dos reservas. Mas fez a jogada de três deles em boas arrancadas pela direita e ganhou, por duas vezes, elogios do técnico Dunga, que acompanhava a atividade na lateral do campo.

– Boa, Nilmar! Boa! – gritou o treinador após duas jogadas de gols dos reservas que saíram dos pés do atacante.

Júlio Baptista já atuou como o principal armador da seleção brasileira algumas vezes, com destaque para a final da Copa América de 2007, quando marcou um gol na vitória por 3 a 0 sobre a Argentina. O meia do Roma, da Itália, não mudaria a forma de a seleção jogar, com Robinho e Luis Fabiano no ataque.

Já Nilmar daria mais velocidade à seleção. Na estreia contra a Coreia do Norte, Dunga optou pela entrada do atacante no lugar de Kaká e preferiu recuar Robinho para o meio-campo. Com isso, Nilmar jogou mais aberto pela esquerda. Ele tem oito gols em 14 jogos pela seleção.

Na próxima sexta-feira, às 11h (de Brasília), a seleção brasileira vai enfrentar Portugal, em Durban, pela última partida da primeira fase da Copa do Mundo. O Brasil lidera o Grupo G, com seis pontos, contra quatro dos portugueses. A Costa do Marfim está em terceiro lugar, com apenas um, e a Coreia do Norte é a lanterna, com zero.